Sociedade

ROCINHA

Ministro da Defesa autoriza cerco repressivo do exército na Rocinha, no Rio de Janeiro

sexta-feira 22 de setembro| Edição do dia

FOTO: Fernando Frazão/Agência Brasil

O Ministro da defesa Raul Jungman acatou o pedido do Governador do Rio Luís Fernando Pezão, e autorizou o cerco do exército à favela da rocinha. Esta é mais uma medida repressiva, por parte do governo federal em aliança com o governo estadual, voltada contra a população pobre e o povo negro do Rio de Janeiro.

A Rocinha amanheceu hoje com intenso tiroteio novamente, em nova operação da policia racista com o Batalhão de Choque. Desde sexta-feira a comunidade tem sido alvo de disputas entre traficantes que se revezam com a ofensiva das forças repressivas. Moradores revoltados com a menina que foi baleada atearam fogo em objetos e paralisaram a via. As pessoas que passavam na passarela tiveram que deitar no chão para se proteger.

Outras favelas do Rio sofrem com tiroteios na manhã desta sexta. No Alemão, mais uma criança entrou na brutal estatística de "balas perdidas" no Rio de Janeiro na Fazendinha, uma das comunidades do complexo de favelas. Ela foi levada para a UPA do Alemão.

No Dona Marta, em Botafogo, o tiroteio, segundo relato de moradores, é muito intenso. Há tiros registrados também na Vila Kennedy, na Zona Oeste da cidade, além do Chapéu Mangueira, no Leme. Nessas duas últimas, há operações da Policia racista em andamento.

Devido ao tiroteio na Rocinha e com a interdição da Lagoa-Barra, o Centro de Operações informou que desvio está sendo feito para a Avenida Padre Leonel Franca. Também está bloqueado o sentido Gávea dos túneis Zuzu Angel e Acústico a partir do acesso pela Autoestrada Lagoa-Barra. Motoristas podem seguir pela Avenida Prefeito Mendes de Morais e Avenida Niemeyer.

Leia também: Não à militarização do RJ! O Plano de Segurança Nacional está destinado a reprimir trabalhadores, pobres e negros

A PM faz operações em outras seis comunidades do Rio. Na Zona Norte há ações nos morros Jorge Turco, Palmeirinha, Mundial, Pedreira e Chapadão — nesta última, com a presença também da Força Nacional de Segurança. Já na Zona Oeste, policiais se encontram na Vila Aliança, em Bangu.

Outras favelas do Rio sofrem com tiroteios na manhã desta sexta. No Alemão, uma criança foi baleada na Fazendinha, uma das comunidades do complexo de favelas. Ela foi levada para a UPA do Alemão. Houve registro de ataques a PMs da UPP Fazendinha durante a manhã.




Tópicos relacionados

favela   /    Sociedade   /    Violência Policial   /    Rio de Janeiro   /    Negr@s

Comentários

Comentar