Política

MBL JUNTO COM A BANCADA EVANGÉLICA

MBL defende liminar da ’cura gay’ em mais um vídeo cheio de mentiras

quarta-feira 20 de setembro| Edição do dia

Kim Kataguiri publicou um vídeo hoje na página do MBL espalhando mentiras sobre a liminar do juiz do Distrito Federal que permite a reacionária prática da "cura gay", também chamada pelos farsantes "psicólogos cristãos" de (re) orientação sexual. Veja o vídeo:

Kim Kataguiri pede para que se leia com atenção a decisão do Juiz sobre o pedido de liminar para exercer a prática da "cura gay", feita por uma psicóloga assessora de um apadrinhado de Silas Malafaia que, assim como o MBL, comparou a militância LGBT com o nazismo.

Vejamos o que decidiu o juiz com relação à resolução 001/1990 que retira a homossexualidade da lista de doenças:

Caso Kim Kataguiri e os reacionários do Movimento Brasil Livre não tenham conseguido ler bem, destacamos aqui novamente a decisão do juiz em favor dos farsantes "psicólogos" da ’cura gay’:

"(...) determinar ao Conselho Federal de Psicologia que não a interprete de modo a impedir psicólogos de promoverem estudos ou atendimento profissional, de forma reservada, pertinente à (re)orientação sexual, garantindo-lhes, assim, a plena liberdade científica acerca da matéria, sem qualquer censura ou necessidade de licença prévia"

Leia a decisão toda aqui: https://d2f17dr7ourrh3.cloudfront.net/wp-content/uploads/2017/09/ATA-DE-AUDI%C3%8ANCIA.pdf

Mais uma vez, espalhando mentiras, o Movimento Brasil Livre vive de cultivar o ódio reacionário daqueles que pensam que ser LGBT é doença, que um LGBT por algum motivo poderia estar infeliz com a própria escolha e por isso precisaria de ajuda de algum destes farsantes que se apresentam como "psicólogos" para reorientar a sexualidade da pessoa.

Um conjunto de obscurantismo, fundamentalismo religioso, escondido por trás do "discurso fácil" do nunca-foi-liberal Kim Kataguiri, defendendo a "liberdade" de atuação destes "psicólogos" em sua cruzada religiosa para reorientar a sexualidade dos outros.

Um movimento reacionário prestando serviço à bancada evangélica

É óbvio que Kim Kataguiri e os reacionários do MBL sabem muito bem o que estava escrito nesta decisão. Ocorre que estes defensores da censura da arte e da demolição dos direitos trabalhistas não conseguem mais disfarçar: eles não tem nada de liberais. Um exemplo disso foi sua aliança com Cunha:

Grupos como o MBL fazem demagogia dizendo que querem enxugar o estado, mas a realidade é que querem muito estado, querem aumentar as prisões e reforçar o aparelho repressivo para conter a revolta dos trabalhadores contra os ataques dos golpistas. Oferecem suas "páginas de facebook" e o que resta deste movimento que teve o ápice no golpe institucional e hoje vive na aba do que há de mais podre da casta política.

E vão aonde tiver fundo partidário e financiamento dos políticos reacionários do regime, como neste momento em que fortalecem seus laços com a bancada evangélica, com quem se aliaram em defesa do Escola Sem Partido, as reformas contra os trabalhadores e os ataques aos direitos democráticos das mulheres, dos negros e LGBT.

Leia também: Os LGBT não são doentes, doente é o Capitalismo

Christian Dunker: “as homossexualidades não podem ser curadas porque não são transtornos”

21 grandes obras de arte que aterrorizariam o MBL, Bolsonaro e Feliciano

Responsável por liminar que autoriza "cura gay" comparou a militância LGBT ao nazismo




Tópicos relacionados

MBL   /    Política   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar