Política

ELOGIO AO GOLPISMO

Lula demonstra gratidão ao golpista Renan Calheiros e a Sarney em visita ao nordeste

Preparando a campanha eleitoral de 2018 no Nordeste, o ex-presidente Lula teceu elogios ao senador golpista Renan Calheiros (PMDB) e a José Sarney (PMDB) nesta sexta-feira (25) em Pernambuco. Parece não ter aprendido nada com o golpe institucional que, inclusive, teve o voto favorável de Renan.

sexta-feira 25 de agosto| Edição do dia

Nesta sexta-feira, Lula deu mais uma amostra de que o PT continuará suas alianças com o que há de mais podre na política nacional. O ex-presidente disse considerar necessárias as alianças políticas. No caso do Renan, chegou a afirmar que o senador ajudou a governar o país! Vale lembrar que Renan ajudou também no golpe institucional e na aprovação da PEC do teto de gastos, que ocorreu durante sua gestão como presidente do Senado. Na linha do "mal menor", Lula também fez questão de demonstrar gratidão ao ex-presidente corrupto José Sarney (PMDB).

"Eu sou grato ao Sarney […] Teve um tempo que as pessoas queriam que eu rompesse com Sarney. E eu iria ganhar de presente o Marconi Perillo [PSDB] como presidente do Senado. Eu deixaria de ter um tubarãozinho manso para ter um tubarão louco mordendo até o pé. Eu acho que você tem que medir essa decisão em cada momento. Você não precisa fazer um acordo definitivo. Você pode fazer acordos pontuais. Em cima de cada projeto", disse o petista.

"Deixa eu falar uma coisa para as pessoas entenderem. O Renan pode ter todos os defeitos, agora o Renan me ajudou a governar esse país. Se ele cometeu algum erro - e eu sou da opinião seguinte, que todo mundo é inocente até que se prove o contrário. Olha, se eu quero pra mim a inocência até que se prove o contrário eu tenho que querer para os outros também", afirmou Lula.

Curiosamente, o ex-presidente também expressou o desejo de se conformar uma frente de esquerda no Brasil para as eleições de 2018. Será que supõe a participação do PMDB golpista, que retira direitos da classe trabalhadora com Temer?

Do alto de sua demagogia, afirmou: "Eu gostaria que a esquerda tivesse mais força, que cada partido, o PCdoB elegesse 50 deputados, que o PSOL elegesse 50, 60, que o PSTU elegesse 50, 60. Que a esquerda do PMDB (!) elegesse 50, 60. Mas quem vota é o eleitor. E quando eleitor vota nós temos que nos subordinar ao desejo das urnas".

Demagogia pois o PT é sempre muito ativo em criticar qualquer alternativa política que se coloque de forma independente ao partido, com acusações de "dividir a esquerda". São muito determinados em tentar convencer que só pode existir unidade em torno deles, com um programa de conciliação de classes e seguindo a adaptação ao regime capitalista que se demonstrou durante os governos Lula e Dilma.

Quem se afasta de qualquer programa de esquerda é o próprio PT. As falas de Lula são expressão de um partido que traiu a classe trabalhadora e que aprofunda essa traição sem combater os ataques do governo golpista. Um partido que, através da CUT, maior central sindical do país e que eles dirigem, traiu absurdamente a greve geral de 30 de junho e, desde então, segue traindo sem convocar, muito menos organizar qualquer, ação nacional da classe trabalhadora.




Tópicos relacionados

Nordeste   /    PMDB   /    PT   /    Lula   /    Política

Comentários

Comentar