Negr@s

RACISMO

Jovem negro tem R$ 3 milhões para pagar fiança?No Brasil liberdade é privilégio de ricos

Dia 26 de outubro, quarta-feira passada, o executivo Mariano Marcondes Ferraz, foi preso em Cumbica ao tentar embarcar para Londres . Ele é um de muitos envolvidos na Operação Lava Jato, suspeito por pagar R$800 mil em propina para o ex-diretor de Abastecimento da Petrobrás, Paulo Roberto Costa.

quinta-feira 3 de novembro| Edição do dia

Na tarde de hoje o acusado, aceitou pagar fiança de R$3 milhões de reais, valor estipulado pela Justiça Federal do Paraná, para deixar a prisão na Lava Jato e cumprir medidas mais amenas em liberdade.

O acordo foi determinado em audiência juntamente com o Juiz Federal Sérgio Moro, responsável pelos processos da Lava Jato.

O empresário admitiu ter pagado propina , segundo relatório de seus advogados, porém a defesa alega que ele irá contribuir para a apuração dos fatos. Por esse motivo, e por pagar a fiança foi liberado nesta tarde da cadeia em Curitiba.

Fica claro que a Justiça Brasileira atua a favor dos ricos e poderosos, pois cerca de 40% das pessoas que estão presas no Brasil sequer foram julgados na primeira instância, dados apontados pelo DEPEN (Departamento Penitenciário Nacional).

Vivemos no 4° país que mais mantêm detentos no mundo, e o crescimento populacional carcerário brasileiro cresce cerca de 7% ao ano, sendo que 40% deste contingente nem mesmo foi a julgamento.

O sistema carcerário brasileiro em relação ao perfil socioeconômico das pessoas privadas de liberdade conta com 55% de jovens entre 19 e 29 anos , onde 61,6% são negros e 75,8% têm apenas o Ensino Fundamental Completo, ou seja nítido reflexo das relações de poder colocadas na sociedade brasileira desde sua origem.

Vivemos num país onde bandidos confessos pagam absurdos por sua liberdade e tem seus privilégios mantidos, e jovens negros padecem sem julgamento, em condições mínimas de vida, e sem nenhuma expectativa positiva diante da sociedade brasileira.




Tópicos relacionados

Operação Lava Jato   /    Negr@s   /    Política

Comentários

Comentar