Política

FLÁVIO BOLSONARO DENUNCIADO

Flávio Bolsonaro diz que R$ 21 mil investigados foram para PM comprar chocolate

Segundo o Ministério Público, um dos pontos abordados foi depósitos feitos na conta da loja de chocolates de Flávio. Os valores investigados totalizam R$ 21,1 mil. Flávio tentou justificar os valores afirmando que um amigo sargento comprava produtos na loja dele.

sexta-feira 20 de dezembro de 2019| Edição do dia

Flavio Bolsonaro, senador do Rio, está sendo investigado mais uma vez sobre lavagem de dinheiro. O Ministério Público (MP) do Rio o investiga por participar de um esquema de “rachadinha”, em que o servidores são coagidos pelos parlamentares a transferir parte de seus salários para eles, no gabinete da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) quando foi deputado estadual. Além de Flávio Bolsonaro, o seu ex-assessor Fabrício Queiroz e os parentes da ex-mulher do Presidente Jair Bolsonaro, Ana Cristina Valle, são investigados.

Segundo o Ministério Público, foram feitos depósitos na conta da loja de chocolates de Flávio, localizado em um shopping da Barra da Tijuca, feitos pelo Sargento da PM do Rio Diego Sodré de Castro Ambrósio. Os valores dos repasses que variavam entre R$ 2,3 mil e R$ 5,6 mil, totalizando cerca de R$ 21,1 mil. Flávio Bolsonaro tentou justificar os valores afirmando que o sargento comprava produtos na loja dele para dar de presente para os seus clientes.

Além disso, o Senador do Rio também está sendo investigado por lavagem de dinheiro no valor de R$638,4 mil que seriam também provenientes de esquema de “rachadinha” em seu gabinete. Segundo o Ministério Público, Flávio e sua esposa compraram dois imóveis em Copacabana, por um valor muito baixo e venderam um ano depois apresentando uma “lucratividade excessiva” no valor de 813 mil reais em pouco mais de um ano, utilizando essa transação como justificativa para a renda feita ilegalmente por esquema de “rachadinha”.

Jair Bolsonaro quando questionado pelos esquemas de corrupção pelos quais seu filho é investigado, lavou as mãos dizendo que não tinha nada a ver com as suspeitas, mesmo apesar das diversas irregularidades ocorridas no gabinete de Flavio. É clara a hipocrisia da família Bolsonaro ao esbravejar um discurso anti-corrupção enquanto permanecem soterrados de investigações por lavagem de dinheiro e esquemas de corrupção. Seu único objetivo é enriquecer com o dinheiro público enquanto ataca e explora os trabalhadores.




Tópicos relacionados

Flavio Bolsonaro   /    Governo Bolsonaro   /    PM   /    Alerj   /    Corrupção   /    Política

Comentários

Comentar