Política

ELEIÇÕES SÃO PAULO

Entrevista com Diana Assunção, candidata que polemizou diariamente com o tucano João Dória

Um candidato empresário, milionário, com o discurso da eficiência, e muitas posições conservadoras se oferece como uma opção de renovação de direita e tucana. Essa velha direta, tentando trajar novas roupas, vem sido combatida sistematicamente pela candidata a vereadora Diana Assunção, tendo sua nota “11 motivos para não votar no empresário da direita João Dória” chegado centenas de milhares de curtidas e 33 mil compartilhamentos no Facebook.

sexta-feira 30 de setembro| Edição do dia

Apesar dos recentes resultados de Dória nas pesquisas eleitorais, isso não significa diretamente um igual aumento nas idéias de direita no eleitorado paulista. As oscilações nas intenções de voto e a própria “nova cara” do PSDB são expressões da crise de representatividade que abre espaços à direita e à esquerda. É necessário combater a influência destas ideias de "renovação" da direita.

Este debate contra as ideias de renovação desta direita empresarial, tucana, não tem sido um centro da atenção de toda esquerda, sequer de todos aqueles que se colocam contra o golpe institucional que teve o PSDB como um dos artífices e beneficiários. A campanha de Diana Assunção se destacou por dedicar atenção a combater essa nova direita.

A candidata Diana Assunção declarou ao Esquerda Diário, “desde o início da campanha viemos respondendo a série de absurdos ditos pelo candidato tucano, desde sua linha privatista e contrária aos trabalhadores, chegando até a apoiar o projeto “Escola sem Partido”, ou mesmo falar que nós mulheres temos “naturalmente” propensão a atividades sociais”.

No texto "11 motivos para não votar no empresário Doria" a candidata desenvolve sinteticamente fatos e políticas para convencer o eleitorado que pode ainda ter dúvida no discurso de eficiência, de que João Dória é representante direto da elite patronal no Brasil, dos maiores milionários do país, preside o LIDE (Grupo de Líderes Empresariais) - que congrega mais de 700 das maiores empresas do Brasil e representam 44% do PIB privado do país – mora em uma mansão com 7.884 m² e não esta nada isento de corrupção, pelo contrário está envolvido em um grande esquema de corrupção internacional de sonegação de impostos, chamado “Panamá Papers".

Segundo Diana Assunção “um dos principais debates que viemos realizando em minha candidatura é como fortalecer ideias de esquerda anticapitalista, isso é fundamental nesse momento que após o golpe institucional o governo Temer, junto ao PSDB e o judiciário, principalmente, estão empenhados em fazer passar ataques profundos contra a juventude e os trabalhadores, como a reforma trabalhista, da previdência e política. O PT com sua estratégia de conciliação dos interesses dos ricos com os trabalhadores e a população mais pobre, garantiu, na realidade, os anos de governo nos quais os empresários mais lucraram. Dória é um empresário, representante dos interesses das elites e nós trabalhadores e jovens temos que ter um combate sistemático a essas idéias para fortalecer uma esquerda anticapitalista que seja uma alternativa política revolucionária a decadência do petismo. As ideias de esquerda não avançaram no vazio, mas em combate contra à direita”.

E continuou em sua avaliação, “minha candidatura quer fortalecer a voz da juventude, dos trabalhadores, mulheres, LGBTs, Negros e dos mais carentes e oprimidos por esse sistema. As afirmações do tucano para as mulheres e a juventude são uma verdadeira afronta, o candidato que vê um papel “natural” das mulheres na área social afirma que as mulheres são “naturalmente cuidadoras” e não podem cumprir um papel social e político, por outro lado quer acabar um o senso critico da juventude e censurar os professores, apoiando o Escola sem Partido, e ainda promete do alto de sua mansão que “não terá nenhuma tolerância” com movimentos de moradia que “invadem propriedade”, como o MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto).”

Desde o início da campanha Diana tem emitido opiniões contra Doria, não só em textos mas também em vídeos, como nos dois vídeos que publicamos a seguir:

Diana Assunção agradeceu àqueles que vem lendo seus textos e divulgando suas notas, dizendo: “queria agradecer a todos que estão apoiando e participando da campanha, hoje um dos principais debates que precisamos fazer é que o governo Temer, com apoio do PSDB, quer como privatizar e entregar nossas riquezas ao capital internacional junto a mudar o regime trabalhista aumentando a precarização do trabalho e a terceirização, alem das propostas de reforma da previdência na qual o governo pretende fazer com que trabalhemos até a morte. Dória em São Paulo é parte dessas idéias, pretende privatizar tudo, de parques a corredor de ônibus. Hoje a luta contra esses ataques é parte fundamental do que quero fortalecer com minha candidatura. Continuar a luta que fazemos junto aos trabalhadores, estudantes e professores da USP contra o desmonte da principal universidade do país pelas mãos tucanas”.

Veja um vídeo da candidata sobre a situação da USP sob ataques tucanos:

A candidata concluiu dizendo: "para a esquerda avançar precisa se enfrentar de verdade com a direita, com os tucanos, e para isso precisa se organizar de forma independente do PT, que concilia e se alia com a direita. É preciso tirar lições de como o PT abriu caminho para a direita e combatê-la. Essa ideia afirmamos diariamente em nossa candidatura."




Tópicos relacionados

Eleições 2016   /    Política

Comentários

Comentar