Política

RIO DE JANEIRO

Datafolha revela que mais da metade da população carioca rechaça a segurança pública de Witzel

A DataFolha publicou hoje, terça (17), pesquisa realizada entre os dias 11 e 13 de dezembro dizendo que mais da metade da população carioca considera a política de segurança pública de Wilson Witzel, governador do RJ, "ruim" ou "péssima": 55% da população considera a política de segurança pública de Witzel "ruim" ou "péssima".

terça-feira 17 de dezembro de 2019| Edição do dia

Não à toa, entre as mulheres, inclusive, existe um alto índice de desaprovação, que chega a 64%, enquanto que entre homens é de 45%. Foi sob o governo de Bolsonaro e Witzel que o feminicídio aumentou 300% no RJ. A dor das mães das crianças negras assassinadas nas favelas, como Ágatha Félix, é causada pela polícia de Witzel, que atira deliberadamente no cotidiano dos morros cariocas.

O índice entre pessoas mais jovens, na faixa etária entre 16 e 24 anos, também expressam mais desaprovação, com 63%, enquanto que o índice entre pessoas com 60 anos ou mais é de 49%. E expressam a política de repressão e assassinato sistemático da juventude negra, como a perseguição alucinada de Witzel e Crivella, prefeito do RJ, aos bailes funk (assim como o governador de SP, João Dória, com o massacre de Paraisópolis).

A situação é tão absurda que 69% dos cariocas se mudariam da cidade do Rio de Janeiro por causa da insegurança. Inclusive, na Zona Norte, onde ficam algumas das maiores comunidades, como os complexos do Chapadão e do Alemão, o índice atinge 73% dos entrevistados.

A pesquisa do Datafolha também aponta que 39% dos entrevistados tiveram que alterar sua rotina diária por causa da insegurança. Desses 39%, 9% deixaram de sair de casa à noite, 8% mudaram seus trajetos diários, 8% passaram a não mais sair de casa, 5% modificaram seus horários e 4% andam mais atentos e evitam levar pertences para a rua. E foi na Zona Norte onde esses índices mais se expressaram na pesquisa. 44% teve que adaptar seu dia a dia, contra 30% na Zona Sul. Num recorte por renda familiar mensal, os que recebem de cinco a dez salários mínimos foram os mais afetados (45%).

Toda a política de segurança pública de Witzel, na realidade, serve para reprimir e assassinar a população negra, trabalhadora e pobre do RJ e é respaldada ainda mais com a aprovação do pacote anticrime de Moro. Os números absurdos escancaram com muita nitidez a que serve esse governo de direita e racista de Bolsonaro e Witzel, que arrancam o direito à vida.

Nós do Esquerda Diário repudiamos esses números e seguiremos denunciando cada um dos nossos que perde sua vida pelas mãos do Estado racista. Não perdoaremos e nem esqueceremos! Basta de mortes da população negra e pobre! Todas as mortes devem ser colocadas na conta de Witzel e de sua política racista de limpeza social, levadas adiante pela polícia militar!




Tópicos relacionados

Estado Policial   /    Wilson Witzel   /    Rio de Janeiro   /    violência policial   /    Política

Comentários

Comentar