Política

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA

Carlos Velloso, nome do PSDB, recusa convite de Temer para o Ministério da Justiça

sexta-feira 17 de fevereiro de 2017| Edição do dia

O ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Carlos Velloso, nome ligado ao PSDB, recusou nesta sexta-feira, 17, o convite do presidente da República, Michel Temer, para comandar o Ministério da Justiça. Ele havia sido escolhido para ocupar o cargo deixado por Alexandre de Moraes, indicado para ocupar uma cadeira no STF.

Na noite da quinta-feira, 16, ele havia dito que aguardava a resposta de clientes de seu escritório de advocacia para dar uma resposta ao presidente sobre o convite. Segundo ele, para que não houvesse conflito de interesse. Caso assumisse o Ministério da Justiça, Velloso teria de deixar de atuar como advogado, seguindo o Estatuto da Advocacia. "Eu quero servir o meu país", disse Velloso na ocasião.

Segundo Velloso, ele havia transmitido a Temer, às 21h30 da quinta-feira, que estava "tentando afastar questões pertinentes a contratos" que exigiam a participação direta dele para dar a resposta definitiva ao presidente. Porém, o ex-ministro que é atualmente advogado de Aécio Neves, hoje fez ligação ao presidente para negar o convite.

O nome de Carlos Velloso que parecia mais uma aposta no fortalecimento entre a parceria governo Temer e PSDB para implementação dos ataques inclusive pela via do STF, não se concretizou. Segundo informações da assistência da presidência a escolha de um novo nome para o Ministério da justiça começa do zero, já que o advogado Antonio Cláudio Mariz, que é cotado para a Secretaria Nacional de Segurança não é cogitado para o Ministério por conta da repercussão ruim que suas posições sobre a Lava Jato geraram.




Tópicos relacionados

Governo Temer   /    Política

Comentários

Comentar