Educação

CORTES NA EDUCAÇÃO

Governo Temer acaba com programa Mais Educação

O programa Mais Educação foi criado em 2008 e visava destinar recursos para atividades de Educação Integral, deixando os alunos mais tempo dentro da escola, com o intuito principal de resolver os problemas de alfabetização e combater o trabalho infantil na zona rural.

terça-feira 6 de setembro| Edição do dia

As escolas da rede pública dos ensinos municipais, estaduais e federais aderiam ao programa a fim de induzir a ampliação da jornada escolar e a organização curricular, com o desenvolvimento das atividades nos campos de educação ambiental, esporte e lazer, direitos humanos, etc.

Em 2015 o MEC já apontava problemas na continuidade do programa. No ano anterior, em 2014, os recursos chegavam para cerca de 60 mil escolas em todo o país. Em 2015 os repasses começaram a diminuir, chegando em 2016 com uma previsão orçamentária de 70% de corte.

Em janeiro de 2016, de cada cinco escolas cadastradas no programa, uma ainda não havia recebido os recursos. Neste mesmo ano, apenas 26 mil unidades acabaram recebendo os recursos. O então ministro da educação, Aloisio Mercadante, anunciou que essas 26 mil escolas respondem por 70% dos problemas de alfabetização no país. Os cortes, portanto, afetaram boa parte do programa, mas não a totalidade.

Agora com o governo Temer o programa deixou de existir completamente. Segundo o MEC, o programa foi considerado problemático por não haver avaliação de resultados e apresentar “distorções graves entre o número de alunos declarados na inscrição do programa e os dados do Censo Escolar”. A partir de agora o governo não vai abrir novas inscrições para 2016.

A partir do final de 2014, a crise econômica mundial começa a pegar mais forte no Brasil e os governos passam a despejá-la nas costas dos trabalhadores. Os cortes em programas como o Mais Educação são amostras disso. E agora com o novo governo golpista de Temer o programa deixa de existir por completo, avançando na retirada de um dos direitos fundamentais da população que é o acesso à educação.




Tópicos relacionados

Governo Temer   /    Michel Temer   /    Ajustes Fiscais   /    Educação

Comentários

Comentar