Política

Câmara dos corruptos acaba de aprovar fim da CLT. Nossa resposta é parar o país!

Na calada da noite, deputados corruptos delatados em diversos escândalos de corrupção acabam de aprovar a reforma trabalhista.

quarta-feira 26 de abril de 2017| Edição do dia

Por 296 votos a favor e 177 contra, deputados corruptos delatados em escândalos de corrupção acabam de jogar nossos direitos trabalhistas no lixo, aprovando a reforma de Temer. A Câmara deverá votar agora 17 emendas ao projeto apresentado pelo relator Rogério marinho (PSDB-RN), que retira uma série de direitos garantidos atualmente pela CLT. É um dos maiores ataques à classe trabalhadora em anos, defendido por Temer e maioria na Câmara dos delatados, além de contar com o apoio de empresários milionários como o Prefeito de São Paulo, João Doria.

Com a tratorada de Rodrigo Maia, que ontem sofreu primeira derrota na votação do PL dos estados em calamidade financeira, a base governista aprovou este projeto que precisava de maioria simples, com pressa para demonstrar a vontade do governo Temer em atacar de qualquer forma os trabalhadores, de preferência antes do 28A que promete ser uma das maiores paralisações operárias em décadas contra os ataques dos golpistas.

Deputados e deputadas que compõe a oposição subiram à mesa da presidência da Câmara com cartazes, cruzes e caixões contrários ao projeto, que altera mais de 100 pontos da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). No entanto, PT e PCdoB demoraram para convocar as manifestações de sexta-feira, dando este tempo para o governo conseguir a aprovação desse ataque além de outros, como a terceirização irrestrita. Apesar disto, a pressão dos trabalhadores que obrigou as centrais como CUT, CTB e Força Sindical a organizar a paralisação do 28A, pode ir muito além preparando uma greve geral para de fato derrubar todos os ataques e junto com eles o governo golpista dos 4% de aprovação.

Com a aprovação, os acordos coletivos passam a ter mais força que a lei. As férias poderão ser divididas em até três vezes. E a jornada de trabalho, hoje no máximo de 44 horas semanais com limite de 8h por dia, será de até 48h semanais com jornadas de 12h por dia. O tempo gasto no transporte não poderá mais ser contabilizado como horas trabalhadas. O trabalhador que entrar com ação contra a empresa, caso perca a ação, terá que pagar os honorários periciais que hoje são responsabilidade do Poder Público. Ou o trabalhador terá que comprovar que não pode pagar, o que levará um bom tempo.

Os ataques ficam ainda mais intensos. Será instituído o trabalho intermitente no qual o trabalhador receberá por jornada ou hora de serviço. Assim o trabalhador ficará a disposição do patrão para quando for solicitado, e perderá o direito de carteira assinada, e qualquer garantia sobre o período de trabalho. Assim os trabalhadores acumularão mais de 1 emprego para conseguir garantir o salário antes fixo.

Nos apoiemos no 28 A para preparar uma verdadeira greve geral para derrubar Temer e seus ataques!

Para derrubar os ataques que os golpistas estão fazendo de tudo para aprovar, é necessário nos apoiar no 28 A para exigir um verdadeiro plano de luta das centrais sindicais com este objetivo. Não pode haver mais trégua a Temer e seus lacaios corruptos no congresso! Preparemos uma verdadeira greve geral para derrubar os golpistas e seus ataques, impondo pela luta uma assembleia constituinte livre e soberana!

Leia também: Preparar uma greve geral até derrubar Temer e as reformas! Por uma Constituinte Livre e Soberana imposta pela luta




Tópicos relacionados

CLT   /    Câmara dos Deputados   /    Reforma Trabalhista   /    Michel Temer   /    Política

Comentários

Comentar