×

PEC bilionária | Câmara busca acelerar PEC bilionária que favorece Bolsonaro na corrida eleitoral

A Câmara busca acelerar aprovação de PEC bilionária que prevê auxílios que favorecem Bolsonaro eleitoralmente.

sexta-feira 1º de julho | Edição do dia

Após aprovação no Senado, no dia de ontem (30), da PEC dos benefícios, a medida agora deve passar por aprovação na Câmara dos Deputados. A PEC trará um custo total de R$ 41,25 bilhões. O texto dá aval ao governo para turbinar programas sociais até o fim do ano sem esbarrar em restrições da lei eleitoral.

A medida dribla a própria lei eleitoral e autoriza, neste período de fim de mandato presidencial, destinar bilhões de reais para caminhoneiros, taxistas e auxílio. Para ser aprovada, a PEC foi precedida de uma outra aprovação de estado de calamidade nacional, que é o que permite que, em um ano eleitoral, tal montante seja destinado a programas de impactos sociais.

O texto prevê a ampliação temporária do Auxílio Brasil em R$200, levando o benefício mínimo a R$600 até o fim do ano, dobrar o valor do auxílio gás e beneficiar taxistas e caminhoneiros autônomos.

A medida ajudará Bolsonaro em grande medida, pois levará auxílio a setores importantes e expressivos da sociedade que hoje sofrem com o exorbitante preço dos combustíveis e o aumento da inflação.

O desespero para a rápida aprovação da PEC busca possibilitar uma reversão do cenário eleitoral que vem se dando até o momento, com as pesquisas indicando favoritismo de Lula.

Nunca foi tão fácil e de tanta unanimidade a decisão de se furar o Teto de Gastos. Essa demagogia eleitoreira deixa claro que, quando se trata de atender aos interesses eleitorais, a discussão sobre “não ter dinheiro” é completamente jogada para debaixo do tapete.

As medidas, que seguem sendo completamente insuficientes para matar a fome ou suprir as necessidades mais básicas de uma família, ao contrário de servir para efetivamente combater a miséria social que vem crescendo na sociedade, busca somente amarrar eleitoralmente aquele setor social que apresenta mais chances de ser sua base de sustentação.

Os caminhoneiros, que desde 2018 foram base social do governo, hoje se demonstram mais dispersos, tendo em vista que também sofrem os impactos da alta dos combustíveis e do aumento generalizado dos custos de vida, e é a eles centralmente que Bolsonaro busca agradar.




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias