Política

RECORDE DE MORTOS NO BRASIL

Brasil bate recorde, com 1.179 mortes em 24h: Bolsonaro e governadores são responsáveis

Na terça-feira (19/05), o número de mortes registradas por covid-19 bateu recorde, sendo 1.179 mortes em 24h, o que significa uma morte a cada 73 segundos.

quarta-feira 20 de maio| Edição do dia

Imagem: Adriano Machado/Reuters

Ainda com a subnotificação sistematicamente presente e longe de considerar cada morte como apenas um número, e sim estruturas de milhares de famílias, amigos, companheiros de trabalho e muitas vidas interrompidas pela falta de um projeto racional de combate a pandemia

Isso tudo não passa por fora de que Bolsonaro e os militares são responsáveis. Enquanto seguem com o governo voltado para cumprir com os interesses da burguesia, de setores de empresários, como se vê com a intenção de funcionamento da economia, em que usa a abertura do comércio às custas da exploração da vida de milhares de brasileiros para na verdade dar continuidade aos lucros da burguesia. Nunca possibilitou nem sequer testes para os profissionais da linha de frente!

Para um enfrentamento da pandemia que esteja voltado para assegurar ao máximo a garantia de vidas, é necessário que o governo esteja tendo seus mecanismos voltados para um projeto racional de combate a pandemia. Isso não passa por fora de pensar a economia, pelo contrário, é mais do que nunca coloca-lá, isso inclui o comércio, as indústrias para que estejam voltadas para a garantia de suprir as demandas necessárias que estão sendo impostas pela pandemia. Ou seja, que assim como todo o sistema de saúde, o funcionamento das estruturas brasileiras, a economia também esteja voltada para converter seus maquinários e os trabalhadores estejam voltados para funções essenciais e em segurança para a produção essencial como por exemplo de máscaras, respiradores e testes. O que inclusive permite com que os trabalhadores da linha de frente, principalmente, da área da saúde possam ter seus corpos protegidos e assegurar um atendimento seguro aos usuários, o que até então sendo ignorado pelo Bolsonaro e militares, estes que o sustentam para tomar as rédeas do governo.

A pandemia, longe de ter seu desenvolvimento apenas como natural, tem agravantes de raízes econômicas, políticas e sociais fruto do sistema capitalista, que se baseia na exploração para manter seus lucros, seja em meio a pandemia ou não. Bolsonaro e os militares seguem sendo representantes da burguesia e permitindo com que a pandemia, crise sanitária e econômica avance e recaia sobre os nossas vidas. Outros governantes, ainda que se divergindo em alguns pontos com Bolsonaro, não ficam de fora. Governadores como Witzel e Doria, do estado do Rio de Janeiro e São Paulo, respectivamente, seguem aproveitando da pandemia para lucrar em cima de nossas vidas e, assim como Bolsonaro de mãos dadas com burguesia. Ambos os Estados, dão passos largos e sem nenhuma medida de freio para o avanço da pandemia, mantém seu governos voltados para também fazer com que a população, principalmente os negros, moradores de favela, mulheres continuem pagando por uma crise que os capitalistas fizeram. Como é o caso do Doria que quer antecipar o feriado do dia 9 de julho, justificando ser uma forma de aumentar a taxa de isolamento no estado mas segue para lucrar com o setor privados de hospitais com leitos alugados e enquanto o hospitais estão a beira do colapso; assim como Witzel, que segue mantendo sua política racista através da polícia, principalmente, nas favelas e segue tendo seu governo como balcão de negócios com as nossas vidas, como pode ser visto, também, com os R$56,2 milhões ditos destinados a respiradores mas que segue sem ser utilizados na vida dos usuários.

Os casos de mortos por covid-19, acompanhados pela subnotificação, são marcas de piadas, demagogias, corrida pelo lucro, fruto do sistema capitalista que a anos tira da vida de milhares de pessoas, a sua saúde, tempo de trabalho, comida, lazer e que agora diante da pandemia aprofundam ainda mais as barbaridades e demonstram que não será voltado de forma a garantir nossas vidas. Como demonstram os trabalhadores de todo o mundo, a classe trabalhadora é a que tem que ter em suas mãos os rumos das decisões e de suas vidas, com isso, todo o exemplo de luta que vem sendo dado, principalmente pelos setores da linha de frente, como foi marcado na semana passada, demonstrações em homenagem e em defesa da vida de trabalhadores da saúde, fica evidente que a necessidade de se ter um sistema de saúde controlados pelos trabalhadores, centralizando as redes privadas para atender toda a população e que esteja voltado para a vida dos trabalhadores, garantindo assim a produção voltada para a garantia de EPI’s e testes para todos os que necessitarem, e para isso desde já sem ter nenhuma confiança no Bolsonaro e nos militares, sem depositar o ódio a Bolsonaro em figuras também genocida e racista como fazem governadores como Witzel e Doria.




Tópicos relacionados

Coronavírus   /    Governo Bolsonaro   /    Wilson Witzel   /    João Doria   /    Política

Comentários

Comentar