Sociedade

MILITARES

5 escândalos de corrupção das Forças Armadas em plena pandemia

Listamos 5 escândalos de corrupção envolvendo as Forças Armadas. Mesmo em meio à pandemia, não dão trégua em busca de incrementar os super-salários e intermediar de forma central a compra do Centrão.

segunda-feira 25 de maio| Edição do dia

Imagem: Fernando Frazão / Divulgação

Durante a pandemia, o histórico de corrupção das Forças Armadas se confirma novamente, mesmo com a penúria do povo, assolado pela crise econômica e sanitária. Listamos os escândalos mais gritantes ocorridos em plena pandemia:

1) Ministerio da Defesa quer que militares ganhem acima do teto de R$ 39 mil

O Ministério da Defesa defendeu em plena pandemia, que militares no governo acumulem salários e ultrapassem o teto máximo de 39 mil reais. A medida contou com o aval da AGU do terrivelmente evangélico Mendonça (hoje ministro da justiça), porém, diante das repercussões negativas, os militares voltaram atrás de levar a frente o pedido (por ora).

2) Militar licenciado aprovou aumento na quantidade de armamento para cada pessoa

O Governo Bolsonaro utilizou um general licenciado para aprovar aumento na quantidade de armamento para cada pessoa. O general de brigada Eugênio Pacelli Vieira Mota já não era mais diretor de Fiscalização de Produtos Controlados quando mandou e-mail que autorizou a medida. A norma elevou de 200 para 600 o número de projeteis que uma pessoa física pode registrar anualmente.

3) A Marinha foi denunciada por fraude na compra de álcool em gel

O escândalo se dá em meio a denuncias de fraude na compra de respiradores e construção de hospitais de campanha por parte do governo Witzel. Uma conversa foi interceptada, na qual o militar pedia o aumento no preço na compra de produtos de higiene no combate a pandemia.

4) Militares intermedeiam a compra do centrão

O Centrão fisiológico já comprou a ala mais podre do congresso com pelo menos mais 10,6 Bi em cargos. Com as medidas, o grupo já gerencia em torno de 73 Bilhões do Governo, que tem nos militares seus melhores aliados.

5) Loteamento do Ministério da Saúde

O ministério da saúde terá mais 20 militares nos próximos dias e também o centrão deve ganhar um cargo no interior do órgão que deveria prezar pela vida dos brasileiros. Marcelo Campos Oliveira deve ser apontado como secretário de Atenção Especializada à Saúde (Saes) nos próximos dias. O nome é indicação do Progressistas e do PL.

Esses diversos escândalos no meio de uma pandemia nos relembram dos dias mais sombrios da história brasileira. Listamos aqui 10 casos de corrupção abafados pelas forças armadas e oito políticos corruptos legados pela ditadura. São apenas alguns compilados que demonstram a mentira da associação que se faz comumente pela direita entre militares e a honestidade.

Cabe lembrar que as empreiteiras investigadas, pela nada parcial, Lava-Jato foram alçadas pela própria ditadura empresarial-militar, apesar de já existirem antes dela. Militares e empreiteiro desenvolveram uma sangrenta relação de poder, corrupção e tortura. Sebastião Camargo, dono da Camargo Correa foi diplomado honoris causa pela Escola Superior de Guerra em 1967, era conhecido financiador da tortura através da Operação Bandeirantes.

O vice de Bolsonaro, Hamilton Mourão, comemorou o golpe de 64 e se trata de um representante da ala mais autoritária entre os próprios generais. Nenhuma confiança que esses militares possam ser qualquer alternativa ao terrível Bolsonaro. Por isso, levantamos a bandeira do Fora Bolsonaro, Mourão e os militares e por uma nova Constituinte Livre e Soberana para que o povo possa decidir.




Tópicos relacionados

Fora Bolsonaro, Mourão e os militares   /    Coronavírus   /    Militares na política   /    Governo Bolsonaro   /    Corrupção no Exército   /    Forças Armadas   /    Sociedade   /    Corrupção

Comentários

Comentar