Mundo Operário

SAÚDE

Trabalhadores do IMESF protestam contra demissões e cortes de Marchezan em meio à pandemia

Alinhado com o bolsonarismo Nelson Marchezan (PSDB) não recua sequer um centímetro em sua política de fechar o Instituto Municipal de Estratégia da Saúde da Família (IMESF). Segundo os servidores, em manifestação nessa segunda-feira (18), a prefeitura coage os tralhadores a se demitirem e não paga o vale-alimentação mesmo em meio à pandemia de COVID-19.

segunda-feira 18 de maio| Edição do dia

2019 foi uma ano marcado por intensas mobilizações dos trabalhadores do IMESF para defender seus empregos e os diversos postos de saúde da família que atendem a periferia de Porto Alegre. Marchezan desde que assumiu a prefeitura trabalha para fechar o instituto e abrir caminho para os empresários parasitas da saúde.

Na manhã dessa segunda-feira trabalhadores do IMESF se manifestaram em frente ao Posto Modelo denunciando a coação da prefeitura para demissões voluntárias e o corte do vale-alimentação em meio à pandemia. Cartazes pediam arrecadação de alimentos e rechaçavam a privatização.

Leia também: Trabalhadores do Hospital Conceição no RS protestam contra a privatizacao e a falta de EPIs

É um verdadeiro absurdo a demissão de mais de 1800 trabalhadores da área da saúde em tempos normais, em tempos de pandemia é uma política descaradamente mortífera para manter compromissos com empresários capitalistas. É preciso cercar de solidariedade esses trabalhadores que estão se expondo muitas vezes sem os EPIs necessários para combater o coronavírus. Nossas vidas valem mais que os lucros capitalistas!




Tópicos relacionados

Marchezan   /    Rio Grande do Sul   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar