Mundo Operário

TRABALHO PRECÁRIO

Trabalhador terceirizado morre em acidente de trabalho no Pará após cair de 6 metros

Dois trabalhadores terceirizados contratados pelo Shopping Belém-Pará sofrem acidente e caem de uma altura de 6 metros na lateral do shopping. Wagner, um dos trabalhadores não resistiu e faleceu após a queda.

Mariana Duarte

Estudante de Letras da USP

quarta-feira 25 de julho| Edição do dia

Na última segunda-feira (23) dois trabalhadores, contratados para instalar uma placa de uma loja no Shopping Belém-Pará, caíram de uma altura de 6 metros de uma plataforma mecânica. Wagner Antônio dos Santos e Michel Roque Custódio foram levados ao hospital, mas Wagner não sobreviveu a queda e faleceu no caminho do Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência. Michel continua internado, mas segundo o hospital segue estável. Ambos era trabalhadores terceirizados e foram mais duas vítimas das dezenas de acidentes de trabalho, muitas fatais, que ocorrem por dia no Brasil.

Segundo o Shopping que os contratou, os trabalhadores possuiam todos os mecanismos de segurança, mas se fosse assim de fato, não teriam caído de uma operação que poderia ter sido facilmente evitada.

Apenas no ano passado foram registrados cerca de 539 afastamentos do trabalho por dia e 22 por hora fruto de acidentes no Brasil. Muitos que resultam em quebra de alguma parte do corpo e como no triste caso de Wagner, diretamente morte de trabalhadores simplesmente por exercer suas funções.

Não é a toa que Wagner e Michel eram trabalhadores terceirizados, que além de receber um salário muito inferior do que os trabalhadores efetivos, tem que conviver com péssimas condições de trabalho diariamente, muitas vezes sem nenhuma garantia de segurança. A reforma trabalhista aprovada pelo congresso e governo golpistas intensifica muito mais esses riscos, já que possibilita que as empresas demitam os trabalhadores que se acidentam ou adoecem fruto da precarização de sua condição laboral.

No esquerda diário viemos denunciando uma série de casos de abusos e assédios patronais que muitas vezes acabam resultando em tragédias como essas, aonde diversos operários pelo país e pelo mundo deixam suas vidas em seus locais de trabalho, simplesmente por não terem escolha sem ser vender sua força de trabalho para que poucos capitalistas sigam lucrando.

Em memória de Wagner e de todos os operários mortos vítimas de acidentes de trabalho, seguimos lutando contra a reforma trabalhista de Temer e todos os ataques que os golpistas vem aplicando para que sejamos nós que paguemos pela crise que eles criaram.




Tópicos relacionados

precarização   /    Acidentes de Trabalho   /    Terceirização   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar