Política

Temer fala que seu governo entrará na história por promover "igualdade" e "avanço"

terça-feira 25 de dezembro de 2018| Edição do dia

O presidente Michel Temer, em pronunciamento feito na noite desta segunda-feira, 24, em cadeia de rádio e TV, disse que deixará o cargo em 31 de dezembro "com a alma leve e a consciência do dever cumprido". E disse toda a verdade, cumpriu o que prometeu no "Ponte para o Futuro" e apresentou a empresários semanas antes do golpe institucional via impeachment parlamentar com aval judiciário.

Seu governo tem importantes conquistas para os empresários e os capitalistas internacionais. Conseguiu congelar os gastos sociais trucidando ainda mais a saúde e a educação públicas através da PEC 55, conseguiu impor uma escravagista Reforma Trabalhistas graças a traição da greve geral pelas centrais sindicas, e ainda - pouco a pouco - deu passos para aumentar exponencialmente o saque estrangeiro dos recursos nacionais, alterando leis sobre o petróleo e fazendo com que a participação imperialista no petróleo nacional - sem ainda privatizar a Petrobras - passasse de 7% para 23%.

O Brasil, nas suas palavras, avançou. "Podem estar certos de que não poupei esforços, nem energia e sei que entrego um Brasil muito melhor do que aquele que recebi. Ficam as reformas e os avanços, que já colocaram o nosso País em um novo tempo."

Não poderiam faltar absurdos, como dizer que o Brasil seria agora um país mais igual. Nem sequer os estatísticos mais interessados em defender o governo conseguem desmentir que tem aumentado a pobreza e a desigualdade. Temer também disse que o tempo, a história irá julgá-lo.

Para que a história não o laude, mas coloque-o onde pertence, à lata do lixo da história vale lembrar de uma passagem do marxista alemão Walter Benjamin: "O dom de despertar no passado as centelhas da esperança é privilégio exclusivo do
historiador convencido de que também os mortos não estarão em segurança se o inimigo vencer. E esse inimigo não tem cessado de vencer."

O ódio de Temer, do futuro governo de Bolsonaro precisa virar organização em cada local de trabalho para que possamos superar os freios colocados pelas burocracias sindicais e enfrentar os planos de ataques que querem realizar, especialmente a reforma trabalhista.

Veja o vídeo e leia a íntegra do pronunciamento, se o leitor perdeu esse desgosto ontem à noite pode alimentar-se de ódio agora:

"Boa noite a todos!

Dentro de mais alguns dias, encerro o meu mandato como presidente do Brasil. Mas hoje não estou aqui para falar do que foi feito no meu governo e de como foi feito. Isto cabe ao tempo demonstrar. Também não estou aqui para falar do que vivi e como vivi. E, sim, do que desejo para a vida de todos nós. Que é o de termos um Brasil cada vez mais próspero e cada vez mais fraterno, cada vez mais igual. E nesta noite tão especial, em que ao lado da família e dos amigos renovamos a fé e a esperança em dias melhores, dias que, com certeza, virão, eu quero, acima de tudo, agradecer. Agradecer a Deus, por ter me dado oportunidade, a honra de servir ao meu país. Agradecer por ele ter me dado serenidade para cumprir a missão que me foi designada. Agradecer por ele ter me permitido fazer valer a Ordem e Progresso estampado na nossa bandeira e que se tornou a marca da nossa gestão. Agradecer a minha família, por ter me ajudado a vencer os desafios que se apresentaram pelo caminho. Agradecer aos meus ministros, a toda a minha equipe, homens e mulheres de valor, que estiveram em todos os momentos ao meu lado e sempre me ajudaram a dar a volta por cima.

E, é claro, agradecer a todos os brasileiros. Indistintamente. Aos que me apoiaram e também aos que não me apoiaram. Porque democracia é isso. É poder pensar e provar que é possível fazer mais pelo Brasil e pela vida de todos, independentemente das dificuldades, das barreiras impostas. Aliás, foi o que me deu ainda mais força para seguir em frente. Valeu cada obstáculo vencido, cada momento vivido, cada conquista feita. E, tenham certeza, gostaria de ter dado um Brasil ainda melhor a todos vocês. Mas também podem estar certos de que não poupei esforços, nem energia e sei que entrego um Brasil muito melhor do que aquele que recebi. Ficam as reformas e os avanços, que já colocaram o nosso país em um novo tempo.

Saio com a alma leve e a consciência do dever cumprido. De coração, de coração mesmo, o meu muito obrigado a todos vocês e uma feliz noite de Natal. Fiquem com Deus, fiquem em paz."




Tópicos relacionados

Governo Temer   /    Michel Temer   /    Política

Comentários

Comentar