Política

AÉCIO NEVES

Temer articula salvação de Aécio em defesa de si mesmo e da corrupção no Senado

Mariana Duarte

Estudante de Letras da USP

quarta-feira 18 de outubro| Edição do dia

Não é novidade para ninguém que o tucano Aécio Neves fez e faz parte de uma série de escândalos de corrupção. Desde da quebra de sigilo do Banco Rural na CPMI dos Correios entre 2005 e 2006, até a recém ligação vazada entre Neves e os empresários da JBS aonde o senador pedia dinheiro à multinacional, Aécio vem provando seu caráter corrupto para a população brasileira.

Recentemente, ao final do mês de setembro, o tucano foi afastado de suas funções no Senado pelo STF em uma decisão bastante questionável, ao arrepio da Constituição, evidenciando que a arbitrariedade da toga ainda estaria vivo.

Porém, após devolver a decisão sobre o afastamento de Aécio de volta para o Senado, esta casa de corruptos decidiu pela impunidade de Neves, permitindo que este pudesse novamente realizar suas funções enquanto Senador.

Saiba mais: Senado salva Aécio pela segunda vez, com demagogia contra abusos do Judiciário

O que no entanto, ficou claro após a votação, foi o apoio e esforço realizado por parte do presidente golpista Michel Temer na volta de Aécio para o senado. Desde a semana passada, Temer não mediu esforços para que o tucano pudesse voltar a exercer suas funções. Um dia antes da votação procurou o presidente do senado Eunício Oliveira (PMDB), também procurado pelo senador tucano Antonio Anastasia na mesma noite, para garantir o retorno de Neves.

Segundo interlocutores do presidente, Temer e Aécio, desde a acusação contra o senador, mantém ligações recorrentes entre si, provando a articulação entre os golpistas para manter o governo de Temer (com uma nova acusação a ser votada), toda a casta política, em prol da aprovação dos ataques contra a população.

Já é claro que tanto Temer quanto Aécio, atuam em função dos enormes lucros dos empresários e contra os interesses da imensa maioria da população, seja pela via dos ataques recentemente implementados, aonde PSDB e PMDB foram linha de frente, seja diretamente via corrupção e entrega de dinheiro público para os grandes empresários.

O Judiciário, no entanto, se prova a todo momento usar de prisões preventivas, vazamentos seletivos, interpretações ao seu próprio gosto das leis e diversos métodos com uma aura de “combate a corrupção” que na realidade só servem a interesses políticos e a troca de um esquema de corrupção por outro.

Frente a isso, para um combate sério a corrupção é necessário o confisco de tudo que ambos roubaram dos cofres públicos, pelas mãos da população, através de juris populares e mecanismos democráticos aonde pudéssemos interferir. No entanto o que vemos é a interferência totalmente arbitrária por parte do Judiciário brasileiro, responsável pelo assassinato da juventude negra na periferia e pela impunidade de milhões de casos de violência contra as mulheres todos os dias. Uma instituição tão reacionária como essa não pode ser suficiente para combater a corrupção, tendo em vista que a incentiva quando lhe convém. É necessário o repúdio total à qualquer medida arbitrária desse judiciário, que não representa de fato os interesses da grande maioria da população brasileira.




Tópicos relacionados

Aécio Neves   /    Michel Temer   /    Senado   /    Poder Judiciário   /    Corrupção   /    Política

Comentários

Comentar