Política

CENSURA À ARTE

’Só se for para o fundo do mar’, diz Crivella sobre Queermuseu no Rio

segunda-feira 2 de outubro| Edição do dia

FOTO: Givaldo Barbosa

O prefeito do Rio de Janeiro, Bispo Marcelo Crivella, quer proibir a vinda do "Queermuseu" para o Rio de Janeiro. A mostra de arte revoltou os conservadores e reacionários, provocando uma onda de censuradores de arte iniciada pelo Movimento Brasil Livre e apoiada pelos políticos-bispos da Igreja Universal do Reino de Deus e pela Assembleia de Deus.

Depois de postar um vídeo neste domingo, anunciando que vetaria a exposição do "Queermuseu" no MAR - Museu de Arte do Rio, Crivella declarou hoje que "Se vier para o MAR, vai ser para o fundo do mar". Dos 9 votos na direção do Museu de Arte do Rio, a prefeitura tem direito a somente dois, o que é insuficiente para barrar a exposição, ainda assim Crivella está obstinado a censurar a arte. Se dependesse dele, os Museus só exibiriam crucifixos e retratos de pastores.

A intolerância do prefeito-bispo era de se esperar, já que sua gestão está tentando "converter" a cidade do Rio de Janeiro em um curral de ideias conservadores pregadas pela sua igreja, praticando inclusive culto religioso na câmara municipal.

Câmara do Rio vira igreja com culto evangélico imposto pela bancada política da Universal

Crivella afirmou as mesmas mentiras propagadas pela direita, de que a exposição teria um apelo à zoofilia e a pedofilia. Mentiras propagadas para esconder sua homofobia, afinal, o mesmo Crivella que disse que "cuidaria das pessoas" foi o que escreveu que a homossexualidade seria um "mal terrível", em seu livro "Evangelizando a Àfrica", aonde constam também inúmeras passagens de seu racismo religioso.

Crivella aliás, naquele momento usou o termo "homossexualismo", como se fosse uma doença para ser curada pela "psicologia cristã" na qual seu filho, Crivellinha, é formado.

Crivella já vinha tentando por diversas vias censurar as manifestações culturais no Rio de Janeiro. Em especial as da cultura negra, ameaçando o Carnaval e tendo ameaçado o samba da Pedra do Sal. Também é sob sua gestão que os ataques aos terreiros de candomblé e umbanda tem aumentado.

21 grandes obras de arte que aterrorizariam o MBL, Bolsonaro e Feliciano




Tópicos relacionados

Censura   /    Marcelo Crivella   /    LGBT   /    Política

Comentários

Comentar