Mundo Operário

GREVE GERAL

Sindicato de Metalúrgicos de BH e Contagem (CUT) boicota assembleia na Vallourec

sexta-feira 30 de junho| Edição do dia

Apesar de decisão tirada da realização de uma assembleia de base na Vallourec para que os trabalhadores da empresa mais importante da região pudessem discutir e votar pela greve geral no chão da usina, a direção do sindicato de metalúrgicos, ligada à CUT, boicotou as iniciativas para garantir esse espaço de organização de base dos trabalhadores.

A decisão pela assembleia aconteceu na última reunião do comitê que aconteceu na segunda feira, 26, impulsionado pelo sindicato dos metalúrgicos de Belo Horizonte e Contagem, comitê que também é composto por outras organizações de esquerda como o MRT. A multinacional da siderurgia foi palco da principal paralisação que aconteceu na região na greve geral do dia 28 de abril e contou com enorme apoio dos trabalhadores.

Entrevistamos Flavia Valle, professora da rede pública em Contagem e integrante do comitê, acerca dessa decisão do sindicato de metalúrgicos.

“Nós do MRT e da agrupação de trabalhadores Nossa Classe estivemos nas reuniões do comitê assim como fomos linha de frente da ação que paralisou a produção da Vallourec no dia 28. Estivemos em intensas panfletagens na empresa e na cidade em que ouvimos de centenas de trabalhadores a necessidade de uma nova greve pra parar tudo. Na Vallourec não foi diferente e ouvimos dos trabalhadores palavras cheias de vontade para haver mais uma paralisação da empresa no dia da greve geral. No comitê nós propusemos que se repetisse a ação para paralisar a usina no dia da greve geral e que como mínimo houvesse uma assembleia de base nessa estratégica categoria de trabalhadores. O máximo que houve de acordo com a direção do sindicato de metalúrgicos foi que se realizasse a assembleia no chão de fábrica pra que os trabalhadores pudessem ser sujeitos da greve geral do dia 30. Isso certamente ajudaria a fortalecer os trabalhadores para mais uma paralisação da Vallourec na greve geral.

Porém, o sindicato de metalúrgicos atropelou o comitê e não chamou nenhuma assembleia alguma. Essa ação do sindicato de metalúrgicos foi apenas uma extensão da posição da CUT nacionalmente que não deu peso para construir na base a greve geral, com assembleias de base nas categorias e comitês com milhares de integrantes nos bairros. Por isso dizemos que não podemos depositar nenhuma confiança nessas centrais."




Tópicos relacionados

Nossas vidas valem mais que o lucro deles   /    Vallourec   /    Contagem   /    Belo Horizonte   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar