Sociedade

PERSEGUIÇÃO AOS MOVIMENTOS POR MORADIA

Sem provas, prisão preventiva de lideranças de movimento por moradia de SP é decretada

Nesta última sexta-feira (28), as quatro lideranças do movimento de moradia de SP, que haviam sido presos temporariamente mesmo sem provas no dia (24), tiveram sua prisão preventiva decretada e serão enviadas ao presídio central ainda hoje (1).

segunda-feira 1º de julho| Edição do dia

Como noticiamos aqui, a prisão temporária de quatro lideranças de movimentos por moradia da cidade de São Paulo no dia 24/06, presos mesmo sem provas, tiveram sua prisão preventiva decretada e serão transferidos para o presídio central com data prevista para hoje (1). Os quatro são Sidney Ferreira da Silva, Jacine Ferreira da Silva (mais conhecida como Preta Ferreira), Edinalva Silva Ferreira e Angélica dos Santos Lima.

Fica ainda mais nítida a ofensiva da justiça em perseguir arbitrariamente estes movimentos. As quatro lideranças presas vinham colaborando com as investigações envolvendo o desabamento do Edifício Wilton Paes de Almeida, mas não tinham relação anterior ao desabamento do prédio. São acusados de extorsão e formação de grupo para prática criminosa, segundo a Polícia Civil, com base em 13 denúncias anônimas que apontavam tais práticas.

De acordo com o site Ponte ainda seis pessoas ser presas.

O Edifício Wilton Paes de Almeida desabou no último ano, após incêndio, deixando sete pessoas mortas e centenas de desabrigados. Os movimentos de luta por moradia vêm sendo perseguidos pela Justiça pois as ocupações escancaram a máfia da especulação imobiliária na cidade onde, segundo o Plano Municipal de Moradia de 2016, existe um déficit de 385 mil moradias, enquanto há 290 mil imóveis vazios ou subutilizados.

Exigimos liberdade imediata aos lutadores sociais! Não podemos depositar nenhuma confiança na Justiça burguesa, que está do lado dos patrões e buscando defender os interesses das construtoras e empreiteiras que são as que ganham com a especulação e com a miséria.




Tópicos relacionados

Moradia   /    Repressão   /    Sociedade   /    Poder Judiciário   /    São Paulo   /    São Paulo (capital)

Comentários

Comentar