Sociedade

CORONAVÍRUS

SP bate recorde de casos de COVID-19 enquanto Doria segue política assassina de reabertura

O Estado de São Paulo bateu um novo recorde e registrou 6.382 novos casos de covid-19 em 24 horas nesta quinta-feira, 28, enquanto o governo Doria começa a reabertura da Economia para atender os interesses dos empresários.

sexta-feira 29 de maio| Edição do dia

Após Doria anuncia nesta quarta (27) a reabertura do comércio em São Paulo, o Estado registra 6382 novos casos de covid-19 em menos de 24 horas na data de hoje (28), batendo novo recorde frente ao descaso do governo Doria em combater efetivamente o coronavírus. O pico anterior havia sido no dia 15 de maio, onde teve 4092 novos casos confirmados em um dia.

São Paulo atinge agora 95,865 casos de pessoas infectadas e 6,980 mortos. E mesmo assim, Doria assim como outros governadores começa a reabertura da economia para atender os interesses dos empresários que estão mais preocupados em salvar seus lucros do que com a vida dos trabalhadores. Doria que desde o início da pandemia se mostrou como a “ala mais racional” da política brasileira frente ao negacionismo de Bolsonaro, na verdade segue a mesma política do presidente de voltar a ‘normalidade’ onde nada está normal e os casos de pandemia continua crescendo no país e no mundo.

O sistema de saúde de São Paulo segue cada vez mais ao colapso. A taxa de ocupação dos leitos de UTI reservados para atendimento à covid-19 é de 77,4% no Estado, contra 73,3% no dia anterior. Na Grande São Paulo, o índice está em 89,2% — um dia antes, era de 86,7%. Atualmente, há 12,5 mil pacientes internados em hospitais de São Paulo, sendo 4.701 em UTI e 7.805 em enfermaria.

Brasil já é o segundo com mais caso de Coronavírus com 438,812 casos e 26,991 mortes e os governos querem voltar a normalidade no meio do caos. Se Doria estivesse realmente sendo eficiente no combate ao vírus como tanto falaram durante a demagógica apresentação da Flexibilização da quarentena, teria investido em testes massivos para toda a população do Estado, para saber quem de fato está infectado com o vírus e que possa ser isolado e receber o tratamento adequado. Mas invés disso investiu em abrir grandes valas e covas para enterrar as pilhas corpos.

O cenário que vem se desenhando no Brasil é de um enorme aumento de mortes, principalmente de trabalhadores, em função das precárias condições de vida, de trabalho e pela falta de um sistema de saúde capaz de suportar essa crise. Contudo, mesmo assim, a necessidade de atendimento da ganância dos capitalistas, segue como uma prioridade para Bolsonaro e os governadores brasileiros, que consideram mais crucial a reabertura de shoppings do que o fornecimento de testes para a população e EPIs para os trabalhadores da saúde.

A promoção de testes, leitos e equipamentos, deve se dar por meio da reconversão da indústria e da estatização de todos os leitos sob o controle dos trabalhadores. Tudo isso, para deve ser conduzido em articulação com a exigência de uma Assembleia Constituinte Livre e Soberana, para que a população possa decidir as saídas para essa crise, sem confiança em setores da direita, como STF, Maia ou mesmo nos próprios governadores que, ainda que se opunham ao negacionismo de Bolsonaro, também têm adotado uma política genocida para beneficiar empresários.




Tópicos relacionados

Coronavírus   /    João Doria   /    Sociedade   /    São Paulo   /    Saúde

Comentários

Comentar