Mundo Operário

GREVE DOS RODOVIÁRIOS

Rodoviários de Guaíba entram em greve e protestam em frente a garagem

Os trabalhadores do Transporte Público da cidade metropolitana de Guaíba, iniciaram a greve nesta segunda de manhã, onde os rodoviários iniciaram a mobilização trancando a garagem dos coletivos.

segunda-feira 11 de fevereiro| Edição do dia

Na mesma linha de outras empresas como a Vicasa e outras também da região metropolitana, a empresa expresso Assur ataca direito dos trabalhadores. A empresa Assur cortou o benefício no valor de R$25 do vale refeição e propôs um aumento na cesta básica, que passaria de R$125 para R$140, o que é ridículo diante da atual situação dessa categoria, a cada dia mais defasada e com direitos ameaçados.

A Assur opera nas 20 linhas que circulam pela cidade de Guaíba e atende cerca de 20 mil passageiros diariamente. A passagem do coletivo custa absurdos R$4,20 e cerca de 2% desse valor é destinado ao vale-refeição dos funcionários. Na semana passada, os trabalhadores da VICASA em Canoas também protestaram diante dos portões da garagem, que a mais de um ano enfrentam atrasos nos pagamentos e no vale alimentação.

Todo apoio a luta dos trabalhadores rodoviários de Guaíba, e de toda a grande Porto Alegre. É preciso que os trabalhadores se organizem para garantir seus direitos, sem colocar tudo nas mãos dos sindicatos. Que atropelem a burocracia sindical e busquem unidade inclusive, com os rodoviários de Porto Alegre, que podem ser os primeiros a terem o cargo de cobrador extinto, caso passe a proposta de Marchezan na câmara. Lógico que se um ataque brutal desses passa aqui, se estenderá pela região toda em curto espaço de tempo.

é necessário que os trabalhadores mostrem unidade na luta contra a patronal e possam estar preparados para resistir aos ataques, para além das reivindicações das garagens, mas para defender sua aposentadoria e direitos contra os ataques do governo Bolsonaro, Eduardo leite e Marchezan.

Que o transporte possa estar sob controle dos trabalhadores e da comunidade, e servir á população e não aos lucros do patrão.




Tópicos relacionados

Precarização do Transporte Público   /    rodoviários   /    Rio Grande do Sul   /    Transporte   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar