Mundo Operário

CORTE DE PONTO NA UNICAMP

Reitoria da UNICAMP ameaça cortar o salário de trabalhadores

Em reuniões nas unidades de ensino, administrativo e na saúde os diretores confirmaram que estavam liberados para declararem a falta dos trabalhadores e que cortariam os salários de famílias.

quarta-feira 27 de julho de 2016| Edição do dia

Trabalhadores da UNICAMP em ato no CAISM, Hospital da Mulher

A “reitoria do diálogo”, mote de campanha de José Tadeu Jorge, dá mais uma prova de que punirá os defensores da universidade pública. Depois de abrir um processo interno que o Esquerda Diário vem denunciando com o apoio de vários setores, a reitoria abriu mais uma forma de punição ao ameaçar cortar o salário dos trabalhadores.

Em declaração para o Esquerda Diário Maicon, representante do comando de greve e do Instituto de Física, informou que estão sendo contadas faltas desde o dia 4 desse mês. Além do Instituto de Física, o Instituto de Matemática e o Hospital da Mulher CAISM também estão fazendo ameaças. No final de mês, perto da data de pagamento dos salários, essa ameaça vem para retroceder na busca de negociação e tornar o corte de ponto a principal luta dos trabalhadores.

A escalada repressiva aos lutadores das estaduais paulistas e na UNICAMP mostra a intransigência das reitorias em relação a pautas legítimas e democráticas. A punição ocorrerá sob famílias que buscam aumento salarial, sob estudantes que buscam cotas étnico-raciais e moradia. O Esquerda Diário seguirá acompanhando o movimento da UNICAMP e defenderá todos aqueles que estão sendo punidos por lutar por educação.




Tópicos relacionados

Greve das estaduais paulistas   /    Unicamp   /    Campinas   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar