Política

DIREITA REACIONÁRIA

’Queime a bruxa’, grita a direita reacionária contra Judith Butler no Sesc Pompeia

terça-feira 7 de novembro| Edição do dia

FOTO: Futura Press

Manifestantes da extrema direita, incluindo grupos reacionários como o Movimento Brasil Livre, o Direita São Paulo e grupos fascistas, tentaram impedir a palestra da filosofa americana Judith Butler, que ocorreu hoje no Sesc Pompeia na Zona Oeste de São Paulo.

Lembrando a época da inquisição da igreja católica, momento histórico ao qual estes grupos querem voltar, manifestantes botaram fogo em uma boneca com o rosto de Judith Butler. "Queimem a bruxa", gritavam, durante a ação fascista que foi gravada em vídeo:

Apoiadores e simpatizantes da filosofa, que iam assistir a palestra "Os Fins da Democracia", tiveram que garantir a continuação do evento através de um cordão humano para impedir a invasão da direita reacionária ao Sesc.

O nome da palestra é praticamente uma ironia, já que esta ’democracia’ burguesa não garante liberdade nenhuma aos trabalhadores, mulheres e setores oprimidos, ao invés disso, o direito de reacionários democraticamente organizarem uma manifestação fascista sem nenhum risco de punição ou repressão, ainda mais depois do golpe.

Estes grupos reacionários são financiados e apoiados, direta ou indiretamente, por políticos corruptos que fazem parte da bancada evangélica e daqueles defensores do Escola Sem Partido. Como por exemplo, Marco Feliciano, Jair Bolsonaro, João Dória, Magno Malta, Marcelo Crivella.

Uma bancada à serviço da censura dos museus, à serviço da ’cura gay’ para tratar LGBT como doente, à serviço também da perseguição de Quilombolas e indígenas. Todos estes vivem de altíssimos salários pagos pelos bolsos dos trabalhadores, e não podem ser julgados por seus crimes por terem foro privilegiado.

Além de tudo, roubam os direitos dos trabalhadores através da reforma trabalhista, enriquecem através do roubo na política, do roubo no dízimo extorquido.




Tópicos relacionados

Censura   /    MBL   /    LGBT   /    Política   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar