Educação

Professores do RS entre a luta e a fome!

Pela nona vez consecutiva, Sartori humilha os professores e os funcionários públicos do RS com o parcelamento de salários. Com a primeira parcela de absurdos R$450,00, o governo ameaçou pagar somente R$300,00! Só a luta dos professores e das demais categoria pode responder aos absurdos desse governo.

segunda-feira 31 de outubro| Edição do dia

Aquele professor que entrou há alguns anos, por concurso público, após longo esforço e estudo, imaginando ter ao menos estabilidade e garantia de um salário todos os meses na conta, hoje tem que matar um leão por dia para poder se alimentar. Sonhou com o piso nacional do magistério, com uma profissão digna e respeitada, hoje ouve nos elevadores por ai pessoas com pena dos professores.

"-Coitada da professora, tudo o que suporta e ainda recebe parcelado!" - exclamou um homem de meia idade, na sala de espera de um consultório contando a história de sua mãe, que em sua época sustentou cinco filhos com um salário de professora. "- como essa profissão foi sendo desvalorizada né meu jovem?"

Sim. Há pouco tempo atrás um funcionário público entrava em um banco para fazer um financiamento e não encontrava nenhum entrave. Para o banco, fazer negócios com funcionários públicos era retorno garantido. Pais aconselhavam filhos: "faça um concurso público que bem ou mal teu salário estará garantido lá no final do mês". E agora? O que fazer?

O aluguel não dá para atrasar, a prestação do carro ja debita automaticamente, o consignado para comprar aquele notebook, que também é ferramenta de trabalho também debita. Quanto sobra para comer? Sobra para comer até a próxima parcela do salário? E a escolinha do nenê? E o leite? O pão? A farinha de milho? Frutas? Arroz? Feijão nem pensar. Carne só se roubar um frango como na música Marvin do Paralamas.

"- Ah, pára que a situação não é tão grave assim..." - diz a dondoca mulher de empresário que acha a profissão um hobby. Já a mãe solteira, cuja pensão não cobre 10% dos gastos com os filhos, que está distante de casa, pois, veio à cidade grande em busca de melhores condições de trabalho, sabe como é.

O governo golpista avança contra os funcionários públicos por todas as vias, tendo recentemente legalizado o corte de ponto de grevistas por meio do STF. Algo que o governo estadual sempre utilizou para fazer chantagem com os trabalhadores que lutam nas greves, agora terá a jurisprudência necessária para se tornar regra.

Mas será mesmo que não podemos usar toda criatividade que temos para resistir e sensibilizar a sociedade? Será mesmo que não conseguimos chamar a comunidade escolar em cada escola para um diálogo, aulas públicas que eduquem também os pais? Com tanta humilhação do governo nos sentimos incapazes e fracassados. Depois do golpe da direção do CPERS em 2015, em meio a um intenso processo de luta da nossa categoria, passamos a assistir todos os retrocessos sem organizarmos absolutamente nenhuma luta conjunta, somente alguns "dias de luta" isolados, sem assembleia, sem mobilizar e organizar nas escolas. E qual o resultado das traições da direção do sindicato? "-ah não adianta mesmo... tanta luta já houve... É sempre a mesma ladainha" dizem alguns colegas sem acreditar nas sua força. Assim sim, tendo nosso sindicato como cúmplice do governo, com a categoria desmoralizada, seremos dignos de pena, dó, compaixão tal qual se sente por moradores de rua. Em breve estaremos nós, não servindo, mas tomando o sopão da caridade.

Particularmente eu não me sinto um derrotado, mesmo porque, não há derrota sem luta, apenas entrega passiva dos pontos ao ver o tamanho do adversário. Mas, tamanho não é documento, e nós, juntos podemos ser muito maiores. Conheço alguns colegas dispostos a enfrentar o monstro. E acredito que fechamento de ano letivo não significa nada perto de ter os próximos vinte anos com teto para educação e saúde, e ainda escolas privatizadas e sem senso crítico aumentando ainda mais a evasão e a violência nas ruas. Penso que de violência já estamos fartos não? Pois é, não precisa ser professor de Sociologia para saber que quando não se investe em educação se tem como resultado o aumento da violência.

"Mas de onde o governo vai tirar dinheiro?" De onde ele mais envia o nosso dinheiro! Para banqueiros e empresários credores da dívida pública! Que deixe de pagar essa dívida, que todos sabem que já foi paga dezenas de vezes devido aos juros abusivos, e cumpra com seu dever para com a população! "Cada sonho que você deixa para trás, é um pedaço do seu futuro que deixa de existir" diz Steve Jobs. Seremos corresponsáveis pelo futuro que estamos assistindo ser semeado hoje.

Na sequência coloco alguns posts e comentários de colegas de profissão sobre a absurda situação atual.

"Pagamento chegando e eu pensando... R$ 300,00 não cobrem o Banricompras, não paga meu empréstimo e nem os juros do cheque especial que já tá incorporado à minha vida. Sem Banri... não compro nem comida, sem dinheiro não tenho água e nem luz... e agora faz como Sr. Governador???
Uma hora me mudo pra porta do Palácio, quem sabe com o reajuste q se deram os altos escalões sobrem umas moedinhas pra uma pobre coitada na porta!!!
#vergonha
#GovernodoEstadodoRS"
(Susana)

"Para esta barbárie que o Governo tem feito com a categoria, de parcelamento de salário e arrocho. Uma sugestão: Acaba-se o ano letivo, NÃO ENTREGA AS NOTAS e fecha-se as escolas. Ai a categoria chama o Governo pra conversar. Quero ver a pressão da sociedade. Ou vai ou racha. O que não dá é pra ficar neste inferno de ter de trabalhar SEM remuneração." (Teresinha)
"CARTA ABERTA A COMUNIDADE ESCOLAR ESTADUAL
AVISO AOS MEUS Diretores (...) Com o valor de salário a ser depositado pelo SR. DESGOVERNADOR SARTORI na segunda-feira, (R$ 300,00) NÃO TENHO CONDIÇÕES FINANCEIRAS PARA IR TRABALHAR... PORTANTO... Não posso receber nenhum tipo de restrição, como faltas ou assemelhados.. MEU EMPREGADOR NÃO ESTÁ ME FORNECENDO AS CONDIÇÕES MÍNIMAS PARA QUE EU EXERÇA MINHA PROFISSÃO... ESTAREI INDO A DELEGACIA NA SEGUNDA REGISTRAR OCORRÊNCIA POR ASSEDIO MORAL CONTRA ESTE SENHOR QUE ESTÁ ME CONSTRANGENDO COMO FUNCIONÁRIO... SEM MAIS... Aos meus alunos, MINHAS SINCERAS DESCULPAS POR ESTE DESGOVERNO IMORAL..."
(Professor Guilherme - Viamão).

"Podíamos sim nós organizarmos e encarar a luta juntamente com os servidores federais que obtem em assembleia com o sinasefe deflagraram greve, por tempo indeterminado.... Quem sabe não terminariamos o ano de 2016, já que estamos recebendo esta merreca, migalhas!!! #furiosa" (Janaína)

"Eu fui pagar meu almoço de 15 pila e ouvi a moça dizer: saldo insuficiente...
Ou seja, deve ser segunda. Enqto isso vamos passando vergonha."
(Raissa)

"Devemos parar segunda. Todos. Com sindicato ou sem. E pressionar o cpergs" (Muriel)

"R$400,00 na conta segunda é isso mesmo???? Ainda querem voto no domingo kkkkkk podem espera pois vai ser NULO com toda convicção! (...) Revoltada sou professora trabalho 60hs em três escolas diferentes utilizo 5 ônibus 🚌 diariamente nem isso ta dando para bancar" ( Cláudia)

"Pegamos nossa indignação e de forma simples compartilhamos!!!
Precisamos do apoio da sociedade contra está estupidez do desgoverno Sartori.
Pagar 300 reais segunda??? É um escárnio!
#chegasartori!"
(Giovanna)

"Colegas, todos os SINDICATOS tem problemas não é só o nosso mas quantas de nós, sim digo nós porque eu faço parte de um grande grupo que se indignou muito com o que aconteceu na última grande greve onde era visível a decisão da maioria em continuar e a direção suspendeu politicagem? Sim pra mim foi, mas é aí que nos enfraquecem os argumentos parecem válidos e é nessas fraquezas que o nosso governador se afirma cada vez mais pra nos botar no fundo do poço como estamos, só escuto de colegas a frase "Não adianta nada". E assim vai parece que não estão sendo atingidas por tudo isso, eu já estou cansada de ouvir o meu marido me perguntar, pra que tu sai de casa pra trabalhar? Se é ele que está pagando minhas passagens, minha alimentação, minhas contas, as que dá, porque o que é depositado o Banrisul fica com tudo por conta dos juros e ainda fico devendo é uma bola de neve que não vai acabar nunca mais, quantas de nós estamos nessa situação? Mas a frase continua. Até que nossas famílias sejam desfeitas, por conta de dinheiro, nossos filhos não tenham mais o que comer, quem tem prestação de carro, vai perde-lo por não poder mais pagar... ATÉ QUANDO? ?????" (Vera)




Tópicos relacionados

Greve Professores RS   /    Porto Alegre   /    Caxias do Sul   /    Educação   /    Professores

Comentários

Comentar