Educação

GREVE PROFESSORES REDE PARTICULAR MG

Professores da rede particular de Minas Gerais entram em greve

Patronal da rede particular de Minas Gerais tentam impor mudanças em acordo coletivo, inspiradas na Reforma Trabalhista golpista de Temer, e professores entram em greve.

quarta-feira 25 de abril| Edição do dia

A patronal das escolas e universidades da rede particular de Minas Gerais tenta impor mudanças no acordo coletivo para retirar direitos dos professores. E a resposta dos professores perante tamanha intransigência foi o início da greve a partir dessa quarta-feira (25). A greve atinge escolas e universidades de todo estado. O início da greve acontece na mesma data do ato público em repúdio à brutal repressão da PM às professoras da educação infantil em BH.

A Reforma Trabalhista golpista de Temer está por trás deste ataque aos professores, que inclui medidas como a redução das férias e retirada do recreio. Como mostra em nota do sindicato Sinpro Minas, dentre os inúmeros ataques estão: perda do adicional por tempo de serviço, perda das bolsas de estudos para professores e dependentes, perda do intervalo (recreio) dos/as professores/as, retirada da cláusula de atestado médico (ou seja, professor não pode adoecer), retirada da representatividade do sindicato (legítimo representante da categoria, conforme apregoa a Constituição da República), retirada da estabilidade do professor aposentando, perda significativa do adicional extraclasse (uma vez que propõem que o professor trabalhe 10% a mais sem remuneração devida), reajuste de 1%, abaixo da inflação – sendo que as mensalidades escolares reajustaram em média de 8 a 10%.

A agenda aprovada até agora pelos professores reunidos em assembleia é a seguinte: 25/04, às 10h: Aula pública na praça da Savassi para esclarecer a população sobre a pauta de reivindicações, bem como o desrespeito patronal aos/às professores/as. 26/04, às 10h: Manifestação na porta do TRT-MG (Avenida Getúlio Vargas, 225, Funcionários) durante audiência de mediação entre sindicato profissional e patronal. 26/04, às 16h: NOVA ASSEMBLEIA DA CATEGORIA para deliberar acerca do movimento – ALMG, Espaço Democrático (hall) – Rua Rodrigues Caldas, 30 – Santo Agostinho.

Estudantes já saíram em apoio à luta dos professores, como os alunos do Colégio Santa Maria do Coração Eucarístico.

E professores de importantes universidades particulares, como o Centro Universitário UNA, fortalecem o movimento (veja aqui).

A unidade das lutas dos trabalhadores da educação tem grande potencial de derrotar tanto os governos atuais que atacam a educação como o de Alexandre Kalil e de Fernando Pimentel do PT, quanto a patronal das escolas privadas.

Todo apoio à greve dos professores das escolas da rede particular de Minas Gerais!




Tópicos relacionados

Greve Educação MG   /    Minas Gerais   /    Juiz de Fora   /    Contagem   /    Educação   /    Belo Horizonte

Comentários

Comentar