Educação

PERSEGUIÇÃO POLÍTICA

Professora da UFMG ameaçada de deportação em meio ao golpe

A polícia federal intimou a professora da faculdade de direito da UFMG, Maria do Rosário Barbato por práticas políticas e sindicais a comparecer na Polícia Federal para prestar depoimento no dia 20 de julho sobre práticas políticas e sindicais.

Flavia Valle

Professora, Minas Gerais

quarta-feira 11 de maio de 2016| Edição do dia

A professora, especialista em direito trabalhista e práticas anti sindicais tão comuns no Brasil, italiana e residente no Brasil, é mais uma vítima das arbitrariedades do “estado de exceção” que marca o atual cenário político no Brasil.

A intimação acontece poucas semanas após a liminar de juíza que proibiu o centro acadêmico da mesma faculdade de direito, o CAAP, de realizar uma assembleia em que os estudantes debateriam o golpe institucional por via do impeachment.

Em nota de 16 de abril a Federação Nacional dos Policiais Federais ameaça de deportação e censura residentes estrangeiros que se posicionarem sobre o golpe que acontece no pais, mostrando uma das facetas mais antidemocráticas desta instituição.

Essas medidas mostram como o atual cenário político nacional está marcado por arbitrariedade de um “estado de exceção” em que o partido do judiciário, incluindo o Ministério Público Federal e a Polícia Federal, tem poderes cada vez mais autonomizados e afastados de qualquer controle civil.

O jogo do atual “estado de exceção” passa também pelo “democracia da toga”, em que juízes privilegiados que tem seus cargos vitalícios no STF decidem os rumos da política nacional enquanto outros como Sérgio Moro, treinado diretamente pelo Departamento de Estado dos Estados Unidos, é parte do jogo próprio do judiciário numa democracia que tem cada vez mais aspectos bonapartistas em seu regime.

Prestamos toda a solidariedade pelo Esquerda Diário à professora Maria do Rosário Barbato e nos posicionamos veementemente contrários e todo tipo de perseguição política que vem tomando a cena na faculdade de direito da UFMG.




Tópicos relacionados

Educação   /    Belo Horizonte   /    Política

Comentários

Comentar