Educação

PROFESSORES

Presidente do SINPEEM vai a banquete de Doria enquanto crianças ficam sem merenda

segunda-feira 21 de agosto| Edição do dia

Enquanto milhares de crianças ficam sem merenda nas escolas municipais e enquanto centenas e centenas de professores tem seus contratos encerrados e ficarão sem emprego pelos próximos meses, Claudio Fonseca, presidente do Sindicado de Profissionais em Educação do Ensino Municipal da cidade de São Paulo (SINPEEM) participou no último final de semana de um luxuoso almoço na mansão do prefeito João Doria, onde se discutiu amplamente com aqueles a quem Doria considera sua "base aliada" os próximos passos para a privatização de quase tudo na maior cidade do país.

Claudio foiflagrado em vídeo publicado no último sábado (19) pelo próprio João Dória em sua página oficial do Facebook, mas sua relação com Doria e seu partido é antiga: o recentemente reeleito presidente do SINPEEM já foi filiado ao PSDB e atualmente figura como vereador pelo PPS, partido que compôs a chapa e apoiou a candidatura do atual prefeito da cidade, com direito a santinho com foto dos dois lado a lado.

Como esperar que o SINPEEM se coloque em luta contra todos os desmandos e maldades de Doria contra os professores e a população, se aquele que dirige o sindicato é parte dos aliados do patrão? Como esperar que Claudio Fonseca se sensibilize e faça algo diante de crianças que estão tendo suas merendas racionadas se ele mesmo comeu o quanto quis da melhor comida servida na quarta maior mansão da cidade de Sâo Paulo? Como esperar que alguém da confiança do patrão defenda os interesses dos trabalhadores?

Certamente não podemos confiar que será pelas mãos de Claudio Fonseca que os professores municipais vão tomar as rédeas de suas lutas e vencer João Doria, enquanto a situação dos professores e das escolas se deterioram conforme a cartilha tucana, nenhum ato foi chamado, nenhuma reunião, nem sequer uma mísera nota de repúdio, quanto mais um plano de lutas, que é aquilo que os professores e trabalhadores de todo o Brasil mais precisam nesse momento para defender nossos direitos.

Por outro lado, o recente escândalo das merendas causou enorme revolta não só entre professores, pais e alunos, como em toda sociedade, demonstrando que o presidenciável Doria e sua tara privatista podem encontrar uma resistência enorme como até então não experimentou em seu mandato. Para isso é necessário que os professores municipais superem a direção burocrática de Claudio Fonseca que age como freio das lutas e que formemos uma grande força que una os mais variados sindicatos, movimentos estudantis, de direitos humanos que queiram de fato fazer Doria retroceder completamente de sua orientação sobre a merenda.

Pensando nisso, o Movimento Nossa Classe - Educação chamou um ato para o próximo dia 23/08 (quarta-feira), as 16hrs na porta da Prefeitura de São Paulo, para denunciar e pressionar Doria até que ele volte atrás no racionamento e para deixar claro que não vamos aceitar nenhuma criança sem merenda, porque nossas vidas valem mais do que os lucros deles!




Tópicos relacionados

Racionamento da merenda   /    Professores São Paulo   /    João Doria   /    Educação   /    Professores

Comentários

Comentar