Sociedade

Prefeito de Santo André, Paulinho Serra, não define data para reabertura de postos fechados

Enquanto faz demagogia, visitando obras como Centro Especializado em Reabilitação, denúncias feita pela professora Maíra Machado, sobre o fechamento de 7 postos de saúde, ainda no começo da gestão do prefeito Paulinho Serra (PSDB) continuam sem respostas. Quando serão reabertos os postos?

sexta-feira 2 de fevereiro| Edição do dia

E Paulinho Serra não tem mesmo mínimo respeito com povo da cidade que ele é prefeito, há dias atrás voltou atrás dos aumentos extremamente abusivos do IPTU, aumento este que nem deveria ter sido anunciado anteriormente, para depois voltar atrás dizendo que "ouviu a voz do povo", mas irá gastar mais verbas oriundas de impostos altos que o trabalhador da cidade paga, confeccionando mais carnês de IPTU-2018. Verbas e impostos recolhidos e mal administrados por ele, além de dar mostras que sua equipe não tem competência, ele também se mostra "perdido", cada vez mais cheio de desculpas sem menor cabimento com a situação da cidade e como tenta administra-la.

Em denúncias feitas desde que assumiu o cargo pela professora Maíra Machado, sobre o fechamento de 7 postos de saúde, incluindo os de especialidades, a prefeitura mostra o descaso com a saúde do trabalhador e seus moradores, do povo pobre que já não tinha atendimento adequado, piorou com estes fechamentos e a troca da secretária Ana Paula Peña, pelo ex secretário de saúde de Mauá, Marcio Chaves, que lá também já era muito criticado e mesmo assim assumiu a pasta de Santo André.

Este CER que Paulinho foi vistoriar na última terça 30/01, irá atender pacientes com deficiência física, auditiva e intelectual do ABC, está localizado no bairro Campestre, um tanto longe e fora de mão para maioria dos futuros pacientes, esperamos que façam remanejamentos nas linhas de ônibus com baldeações gratuitas. Foram feitos repasses de R$ 5 milhões, já para aquisição de equipamentos R$ 1,5 milhão e para custeio mensal R$ 365 mil e para a construção do espaço onde funcionará a oficina, o governo federal repassou R$ 250 mil, além de R$ 343,5 mil para aquisição de equipamentos e R$ 54 mil para custeio mensal.

No mesmo terreno, funcionará também a oficina ortopédica, que fará a confecção e dispensará as OPMs (Órteses, Próteses e Meios Auxiliares) de locomoção que forem prescritas pelos médicos, fisioterapeutas ou terapeutas ocupacionais, tais como cadeiras de rodas adaptadas, cadeiras para banho, bengalas, andadores, órteses de pés e mãos e coletes para desvios de coluna, entre outros. Os munícipes que hoje apresentam essa demanda são atendidos por meio da pactuação regional, que tem como referência o município de Ribeirão Pires, muito distante dos trabalhadores e munícipes andreenses, que para se deslocar até outras cidades que tenham este convênio, dependem de vans municipais, mas que não atendem a demanda da interna da cidade, muito menos o transporte de pacientes para ouras localidades mais distantes.

E datas pra que sejam reabertos os postos? Nem foi cogitada data, a cidade com caos dentro dos poucos postos ainda abertos, pois estão sobrecarregados ao máximo, com seus trabalhadores desgastados, mal pagos, com cortes de convênios com a FSA, houve também cortes nas enfermarias dos postos e de hospitais, causando desemprego de profissionais de saúde e maus atendimentos à população, como agora com surto de febre amarela, que o governo não conseguiu dar conta em tempo hábil, de prevenir, informar e vacinar as pessoas.




Tópicos relacionados

Sociedade   /    Saúde   /    ABC paulista   /    Política

Comentários

Comentar