Sociedade

VIOLÊNCIA POLICIAL

Polícia invade casa de moradora no Complexo do Alemão

O relato de uma trabalhadora do Complexo do Alemão é implacável, o desespero de saber via telefonema por um parente que sua casa não está mais do mesmo jeito que deixou por conta de uma invasão policial é sintomático.

segunda-feira 13 de fevereiro de 2017| Edição do dia

A violação de direitos virou rotina nas favelas e nas periferias cariocas, a favela da Alvorada – local do relato da moradora – não foge a essa situação a qual polícia sem hesitar invade as casas de moradores, rouba seus pertences e ainda utiliza essas mesmas moradias para fazer de base militar.

Essas situações não são incomuns e dizem respeito ao modo como o governo do Estado do Rio de Janeiro pretende dar continuidade a sua política reacionária para as favelas cariocas. O aparato coercitivo do Estado tem a intenção de violar desde direitos garantidos pela Constituição aos direitos humanos, sua intenção, sem sombra de dúvidas, é aumentar o número de negros e negras mortos nas favelas.

A denúncia dessa trabalhadora do morro da Alvorada mãe de uma criança de três anos desesperada em poder voltar para casa evidencia o caráter reacionário da polícia militar do Rio de Janeiro. É pela repressão e pela violência que o governo do Pezão quer impor uma política pública que na realidade só oprime e acaba com a vida dos moradores de favela.

Essa situação de violação sistemática de direitos e de violência policial vem se estendendo há duas semanas no Complexo do Alemão, com tiroteios diários, roubos e invasões das casas de moradores.




Tópicos relacionados

Sociedade   /    Racismo   /    Violência Policial   /    Rio de Janeiro   /    Negr@s

Comentários

Comentar