Sociedade

Pobreza mata tanto quanto obesidade e tabagismo

Em recente estudo publicado na revista médica The Lancet, aponta que a pobreza é um fator de diminuição da expectativa de vida tão importante quanto o obesidade, álcool e hipertensão.

quinta-feira 2 de fevereiro de 2017| Edição do dia

A pesquisa publicada na revista The Lancet, que conta com pesquisadores das mais renomadas universidades do mundo como Universidade de Columbia, o King’s College de Londres, a Escola de Saúde Pública de Havard e o Imperial College de Londres, estudou as causas e efeitos das desigualdades sociais no nível médio de expectativa de vida.

Se comparado com outros fatores mais convencionais como tabagismo e sedentarismo, se viu que a pobreza é um fator de mortalidade tão sólido quanto esses. A média de vida pode diminui mais 2 anos de vida entre os adultos. Curiosamente, o estudo não diz sobre os enormes casos de mortalidade infantil que sempre vemos subir em períodos de crises e em regiões como a Àfrica, que o problema persiste desde sempre.

Os estudos da OMS (Organização Mundial de Saúde) não consideram a desigualdade enquanto um fator de problema de saúde mundial, e com certeza não aumentaram a expectativa de vida sem resolver tal problema estrutural causado pelo capitalismo.

Ao contrário, estudos recentes da Oxfam apontam que 8 homens concentram metade da riqueza de toda humanidade. Mostrando que o capitalismo não resolveu os problemas de desigualdade, mas na verdade depende dela para continuar existindo.




Tópicos relacionados

Sociedade

Comentários

Comentar