Mundo Operário

PERSEGUIÇÃO POLÍTICA

Perseguição política contra servidores do Instituto Federal Catarinense

O Ministério Público pediu afastamento dos gestores do campus Abelardo Luz do Instituto Federal Catarinense (IFC), em Santa Catarina. Eles tiveram computadores e celulares apreendidos pela Polícia Federal. Reproduzimos aqui nota do Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica, Profissional e Tecnológica, sobre o tema.

sábado 19 de agosto| Edição do dia

"Mais um episódio de autoritarismo do Estado contra a classe trabalhadora aconteceu nesta quarta-feira (16/08). Valendo-se da fragilidade de nossa Justiça e da condição de anormalidade democrática por qual estamos passando desde o Golpe de Estado do ano passado, a Polícia Federal (PF) de Santa Catarina apreendeu celulares, computadores e quebrou o sigilo de informações dos servidores Ricardo Scopel Velho e Maicon Fontanive, lotados no campus Abelardo Luz do Instituto Federal Catarinense (IFC).

A acusação formalizada contra os trabalhadores é de ingerência do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) no campus e na gestão, fazendo com que os mesmos fiquem afastados temporariamente de suas funções públicas. Veja aqui, em formato PDF, a decisão proferida pela 1ª Vara Federal de Chapecó-SC.

Trata-se, em verdade, de mais um absurdo e de clara perseguição política contra a classe trabalhadora. O campus Abelardo Luz do IFC é uma conquista dos trabalhadores rurais que produzem na agricultura familiar na região. Mas infelizmente as conquistas dos trabalhadores incomodam as elites, tanto que um dos representantes das oligarquias locais já bradou que "é melhor essa escola fechar que continuar dentro de um assentamento".

Esse tipo de situação demonstra também que os correligionários do Movimento Escola Sem Partido buscam a todo custo fazer valer seu modus vivendi, ainda que seus Projetos de Lei, flagrantemente inconstitucionais, não tenham sido aprovados pelo Congresso Nacional e tenham ampla reprovação junto à população.
Temos em evidência que essa ação se trata de perseguição, com o claro objetivo de intimidar, demitir e criminalizar os trabalhadores. A seção Litoral-SC e o SINASEFE NACIONAL não vão tolerar qualquer ato contra os servidores e acompanharão de perto esse caso.

Fascistas e golpistas, não passarão! Todo apoio a Ricardo Velho e Maicon Fontanive! Viva o campus Abelardo Luz e a luta dos trabalhadores rurais!"




Tópicos relacionados

Santa Catarina   /    Repressão   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar