Política

GREVE GERAL

Paulinho é reeleito presidente da Força Sindical e já anuncia seu boicote à greve geral

sexta-feira 16 de junho| Edição do dia

Paulinho da Força (SD) foi reeleito presidente da Força Sindical e já anunciou em posse que o objetivo de sua gestão continuará sendo o de travar a luta dos trabalhadores contra as reformas. E o primeiro passo para Paulinho será desarticular a greve geral marcada para o dia 30.

Ao site oficial da Força, Paulinho declarou que “No dia 20 terá um ‘esquenta’, e as centrais ainda vão se reunir para decidir o que será feito no dia 30 de junho.". Já à Rede Brasil Atual, o deputado do Solidariedade especialista em impeachment e super amigo de Temer, teria declarado que o dia 30 teria que mudar o seu caráter, sem usar a expressão greve geral.

No Esquerda Diário já viemos denunciando esta manobra, surgida à partir de difusas notícias, de que as centrais sindicais preparam o cancelamento da greve geral, e que tentam sequestrar a nossa luta, querendo transformar a mobilização do dia 20 em ações eleitorais controladas pelo petismo com a bandeira das "Diretas Já", através de sua frente ampla de conciliação de classes, ou para uma saída negociada com Temer no caso de Paulinho e da Força.

Para que a greve geral ocorra e seja uma medida de enfrentamento contra o governo e as reformas, ao invés de um instrumento de pressão para a negociata parlamentar, temos que tomar as lutas em nossas mãos e não dar trégua às direções das centrais sindicais até que os sindicatos estejam de fato à serviço dos trabalhadores. Organizando comitês de base nos locais de trabalho e estudo podemos ter força para impor isto, e dia 20 será o medidor da pressão que terão na base das categorias por medidas de luta concreta. Os comitês tem que tomar como centro a luta contra as reformas, tomando nas mãos as nossas lutas e dos milhares de trabalhadores que não aguentam mais ver seus direitos atacados em nome dos privilégios da casta política e dos patrões.




Tópicos relacionados

Paulinho da Força   /    Centrais Sindicais   /    Política

Comentários

Comentar