Política

ATAQUE A APOSENTADORIAS

Para cortar aposentadorias por invalidez, governo do Rio chamará 72 mil para “rever” direito

Como parte da ofensiva do governo contra aposentadorias em todo o país, o governo do Rio irá convocar a partir de 15 de agosto 72.016 aposentados para rever o direito. A medida travestida de "técnica" é na verdade um ataque ao direito dos trabalhadores.

terça-feira 1º de agosto| Edição do dia

Na primeira etapa das "revisões" do direito de aposentados por invalidez, o secretário-executivo do Ministério de Desenvolvimento Social (MDS), Alberto Beltrame, afirmou que serão convocados 50 mil pessoas. O primeiro lote, que será chamado a partir de 15 de agosto, inclui 3 mil.

Todos os que têm menos de 60 anos e há pelo menos dois anos não passam por perícia serão convocados. Os que têm acima de 60 ou pelo menos 55 anos e recebem a aposentadoria há pelo menos 15 anos não serão chamados.

O governo pretende ainda excluir automaticamente os que não marcarem a perícia, ainda que o comunicado seja feito apenas por carta e evidentemente possa ocorrer todo tipo de contratempo que impeça os destinatários de receberem a correspondência e marcarem a perícia em tempo hábil (o prazo fornecido é de cinco dias úteis após a notificação).

A medida é na verdade mais uma forma de fazer com que os trabalhadores, e nesse caso um setor particularmente vulnerável e prejudicado, pague pelos custos da crise criada pelos capitalistas. Muitos dos aposentados por invalidez, aliás, o são diretamente devido ao trabalho massacrante para nossos corpos e mentes que é imposto a cada dia nos locais de trabalho para sustentar a sede insaciável de lucro.

O mesmo procedimento já foi realizado com o auxílio-doença: 200 mil benefícios foram revisados e o resultado foi o corte de 180 mil deles. A "economia" ao retirar esse direito de tantos, será de R$ 2,6 bilhões anualmente. Uma migalha se comparado ao que vai pros bolsos de especuladores e banqueiros anualmente com o pagamento de juros da dívida pública.




Tópicos relacionados

Governo Temer   /    Direitos Trabalhistas   /    Rio de Janeiro   /    Política

Comentários

Comentar