Mundo Operário

GREVE BANCÁRIOS

OAB pede prisão de presidente do sindicato dos bancários de Pernambuco

Perante uma greve com quase um mês de duração, a Ordem dos Advogados do Brasil de Pernambuco entrou com uma ação judicial pedindo a prisão da presidente do Sindicato dos Bancários do Estado, Suzineide Rodrigues.

sexta-feira 30 de setembro| Edição do dia

Esta medida vem com a intenção de forçar a categoria a cumprir uma determinação judicial que exige uma quantidade mínima de funcionários em atendimentos nos caixas durante a greve. Ou seja, a OAB atua para ajudar a FENABAN a quebrar a difícil greve e impor o arrocho salarial.

De acordo com a determinação do Tribunal Regional do Trabalho, as agencias deverão abrir por duas horas diárias e manter 30% dos funcionários trabalhando. A OAB também pediu aumento de multa estabelecida pelo descumprimento da ordem judicial, passando de 10 mil para 100 mil por dia, e a abertura de um inquérito policial contra a representante do sindicato para investigar as irregularidades da greve.

Arrogando-se procuradora da FENABAN a OAB não se contentou com o arbítrio do TRT que desrespeitou o direito de greve com sua medida e pediu mais.

Hoje existem 625 agencias no Estado, sendo que atualmente 562 estão fechadas por causa da mobilização segundo divulgado pela Agência Estado.

A ação que a OAB moveu contra os bancários de Pernambuco, passa por cima contra o direito constitucional de greve conquistado com muita luta dos trabalhadores. Por trás desta ação repressora e anti-operária da Ordem dos Advogados do Brasil de Pernambuco, está a ofensiva patronal contra os direitos dos trabalhadores.

O objetivo da OAB de Pernambuco ao abrir um inquérito policial que visa prender a presidente do sindicato dos bancários, é contribuir para desmantelar uma organização sindical e com isso abrir espaço para que os governos e os patrões ataquem esta categoria e a usem de exemplo para impor ainda mais repressão e arrocho a outras categorias que miram-se nos bancários como exemplo de conquistas salariais e de direitos conquistados.

A medida proposta pela OAB de Pernambuco é um ataque ao direito de greve e ao direito de organização sindical. Se vitoriosa abre precedente para que outras organizações sindicais sejam atacadas não somente com interditos proibitórios e multas mas agora com ordens de prisão. Contra este avanço da direita contra os bancários, é necessário uma ampla campanha pela liberdade de organização sindical, mas também pela defesa do direito de greve.




Tópicos relacionados

Mundo Operário

Comentários

Comentar