Educação

educação

Novo coordenador do Enem escancara obscurantismo do governo Bolsonaro

Murilo Resende, indicado de Bolsonaro para coordenação do Enem e outros exames nacionais, faz parte do movimento Escola sem partido e diz ter como principal influência o “intelectual” reacionário Olavo de Carvalho.

terça-feira 8 de janeiro| Edição do dia

Murilo Resende foi nomeado por Bolsonaro diretor de Avaliação da Educação Básica do Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), cargo que é responsável pela coordenação do Enem e de outros exames nacionais. Resende é mais um dos escolhidos de Bolsonaro para propagar seus discursos direitistas e conservadores.

Resende faz parte do reacionário movimento Escola sem partido que quer amordaçar e perseguir professores em todo país atacando a liberdade de pensamento dos estudantes e a liberdade de ensino destes professores. Segundo declarações de Resende em uma audiência no Ministério Público Federal de Goiás os professores são “manipuladores” e “gente que não quer estudar”, atribuindo uma suposta falta de preparo dos docentes a “ideologia de gênero” nas escolas.

Murilo Resende chegou a defender em uma de suas postagens em redes sociais a “queima lúdica” de livros dizendo que até faria um vídeo de sua fogueira. Mostra maior do obscurantismo que chega ao nível do absurdo.

Além do reacionarismo no ensino, Resende também demonstra sua homofobia abertamente sem que isso lhe cause constrangimento. Em outra postagem Resende disse: “Eu acho engraçado dois homens se tratando como um casalzinho (...)”.

É no mínimo chocante que este seja o novo coordenador do maior vestibular do país e que avalia o nível do ensino médio dos estudantes brasileiros. E como não bastasse uma das principais referências de Resende é Olavo de Carvalho pseudo intelectual que parece fugir da realidade em seus discursos e que é símbolo do mais grotesco movimento direitista. Murilo Resende é mais uma das figuras que expressam o discurso racista, homofóbico e contra os trabalhadores que o governo Bolsonaro leva à frente não apenas nos aspectos ideológicos, mas também nos aspectos econômicos.




Tópicos relacionados

Ministério da Educação   /    Escola sem partido   /    Educação   /    Educação

Comentários

Comentar