Política

MACHISMO

No México, Serra diz que ‘é um perigo’ a alta participação de mulheres na política nacional

Piada machista foi feita ao lado da chanceler mexicana durante pronunciamento oficial e ganhou grande repercussão na mídia internacional.

quarta-feira 27 de julho| Edição do dia

Foto: Agência EFE

Durante visita oficial ao México, na última segunda-feira (25), com o objetivo de reforçar a relação bilateral dos dois países, o ministro das Relações Exteriores do Brasil, José Serra, fez uma ‘piada’ machista se referindo ao grande número de parlamentares mulheres presente no país.

"Devo dizer, cara ministra, que o México, para os políticos homens no Brasil, é um perigo porque descobri que aqui quase a metade dos senadores são mulheres", “brincou” Serra sobre a participação feminina na política mexicana, segundo a agência AFP.

Serra, reiterando o convite para que Ruiz Massieu venha para o Brasil durantes as Olimpíadas, ainda pontuou: "Quero muito que você vá, mas será um perigo porque chamará a atenção para este assunto", se referindo a composição ministerial do governo golpista de Temer.

A Câmara dos Deputados mexicana tem 46% das cadeiras ocupadas por mulheres, ou seja 212 de 500. Já o Senado possui 36% de sua composição com representação feminina, 47 de 128 cadeiras. Os expressivos números foram decorrência da aprovação da lei que exigia que os partidos apresentassem 50% das candidaturas sendo mulheres.

O Brasil hoje possui composição ministerial totalmente integrada por homens e a menor representação feminina desde a gestão Geisel da Ditadura Militar (1974-1979). No Senado brasileiro, das 81 cadeiras, 12 são ocupadas por mulheres (14%) e na Câmara dos Deputados, das 513 cadeiras, 52 são femininas (10%). Além do mais, diversos ministros estão ligados diretamente a escândalos de corrupção.

A ‘piada’ de Serra foi notícia em diversas mídias internacionais afirmando que o chanceler brasileiro apresentou “pouca diplomacia”.

Figurinha carimbada

Não é a primeira vez que Serra e os demais ministros do governo golpista fazem manifestações machistas. Em dezembro de 2015, Serra se envolveu em uma polêmica com a ex-ministra Kátia Abreu após esta ter jogado um copo de bebida no rosto do então senador. No caso, Serra teria afirmado que Kátia era “namoradeira”.

Após as diversas críticas da ausência de representação feminina nos ministérios, o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, afirmou: "Nós vamos sim trazer mulheres a participar do governo em postos que ontem eram ministérios, mas que hoje têm as mesmas atribuições, mas com nome diferente", declarando que durante o governo Temer haveriam mulheres em secretarias e postos “com as mesmas atribuições” de ministérios.

O governo Temer surge de forma antidemocrática, impondo-se através de um golpe, e se apresenta sem máscaras como reacionário. Atropelando direitos dos trabalhadores, mulheres negros e LGBT e sem nenhum pudor manifesta em forma de ‘piadas’ um dos preconceitos dos mais vergonhosos existentes em nossa sociedade. Ao governo golpista e seus ministros só nos resta o total repúdio.




Tópicos relacionados

Machismo   /    Governo Temer   /    México   /    Política   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar