Cultura

MOSTRA CENA VERMELHA - OSASCO

Mostra de teatro de rua em Osasco resiste à censura

quinta-feira 16 de novembro| Edição do dia

Foto: Camila Costa Mello

A Companhia Teatro dos Ventos realiza este ano a 4ª edição da Mostra Cena Vermelha. Integram a programação da mostra diversos coletivos e todas as apresentações acontecem no calçadão da Antônio Agu, em frente ao shopping Plaza, em Osasco.


Foto: Deise Daiane

Neste momento de sucessivos ataques e censura à arte e diante da política de cortes à cultura, a mostra é uma ação essencial. Colocar em movimento espetáculos que enfrentam diretamente a lógica da arte mercadoria e que trazem à tona questões essenciais neste momento de diversos ataques à classe trabalhadora é de extrema importância.

Durante a mostra, a Companhia e outros coletivos participantes, sofreram ataques diretos por parte do poder público, tendo sua programação ameaçada de cancelamento e alguns espetáculos impedidos de acontecer.

Tudo teve início antes mesmo da mostra começar. Foi aprovada pela câmara municipal de Osasco uma moção de repúdio, alegando que a imagem de divulgação da mostra era inapropriada. Seguido a isso, o espetáculo “BLITZ, o império que nunca dorme” da Trupe Olho da Rua, que daria início a mostra, também foi vítima de mais uma moção de repúdio, que ocorreu aliás em tempo recorde: Em apenas duas sessões ordinárias, levantou-se e aprovou-se a moção sem discussão alguma com os coletivos artísticos e com a organização da mostra cultural.


Foto: Allan Siqueira

Durante a apresentação da Companhia Antropofágica, no dia 21 de Outubro, os organizadores da mostra ficaram durante uma hora no calçadão Antônio Agu negociando a liberação com a Secultru (Secretaria de Segurança e Controle Urbano) para a realização do espetáculo. Com muita determinação, o “Kabaré Antropofágico” aconteceu e trouxe novos ares para Osasco, dialogando diretamente com os trabalhadores e trabalhadoras ali presentes e dando novo ânimo aos artistas locais.
No dia 28 de outubro, novamente o poder público se colocou contra a liberdade da arte e censurou novamente a mostra, desta vez, impedindo que apresentação da Companhia Canina de Teatro acontecesse. Diante dessa sequência absurda de repressão, a Cia Teatro dos Ventos e o Movimento Osasco Sem Censura publicou a seguinte carta aberta, direcionada ao prefeito da cidade, Rogerio Lins:

"Carta aberta ao prefeito Rogério Lins

Caro prefeito,

Entendemos que reformas, quando necessárias, são sempre muito bem vindas. A tentativa de corrigir e melhorar uma gestão é muito importante e demonstra respeito ao dinheiro público. No entanto, deve-se corrigir e melhorar o que está insuficiente e com problemas.

Mas esse não é o caso da Secretaria da Cultura de Osasco.

A atual gestão da Secretaria da Cultura de Osasco tem mantido diálogo aberto e franco com a comunidade artístico-cultural de Osasco e dado vazão a demandas reprimidas há muitas décadas. Tem garantido também a realização do Plano Municipal de Cultura da Cidade, que é o instrumento maior de políticas públicas já feito em nossa cidade.

Assim, em menos de um ano, a atual gestão da Secretaria da Cultura de Osasco, lado a lado com os movimentos organizados da cidade, as setoriais de artistas e o Conselho Municipal de Política Cultural realizou: histórico aumento do orçamento da Secretaria da Cultura para 1%; Edital de fomento; fortalecimento do Conselho Municipal de Política Cultural; defesa aos direitos da comunidade LGBT; credenciamento de artistas e técnicos pondo fim ao "balcão de negócios" na cultura de Osasco; dentre outros avanços. Tudo isso em apenas 10 meses de gestão.

Como pode ver, prefeito, não há o que reformar na Secretaria da Cultura de Osasco.
Assim, nós, pessoas ligadas à arte e à cultura, seja como trabalhadores ou público, escrevemos essa carta para expressar que SOMOS CONTRA QUALQUER MUDANÇA NA SECRETARIA DA CULTURA. O senhor fez sua campanha alegando ser o "novo" na política, fez de sua juventude um slogan, afirmou que era preciso deixar a "velha política". Pois então, NÃO ACEITE SER REFÉM DA VELHA POLÍTICA. Não interrompa o maior avanço que a Secretaria da Cultura já vivenciou em sua história.

Não se cale, prefeito. Seu compromisso é com a cidade! E nós, que assinamos essa carta, também fazemos parte dela.

Recentemente o senhor foi aplaudido por nós. Não troque os aplausos por vaias.

Saudações, Movimento Osasco Sem Censura!"

As apresentações do grupo Nativos Terra Rasgada, dia 04 de novembro e do Coletivo Galochas, no último dia 11 de novembro aconteceram, dando sequência à mostra.

E ainda que diante de tamanha censura, a mostra segue sua programação! Já passaram pelo calçadão: Trupe Olho da Rua, Companhia Antropofágica, Companhia Canina de Teatro de Rua e Sem Dono, Nativos Terra Rasgada e Coletivo de Galochas. E até o final de novembro tem mais apresentações: dia 18 o coletivo Madeirite Rosa apresentará o espetáculo “A LUTA” e no dia 25 a Companhia Teatro dos Ventos encerra a mostra com seu espetáculo “BALAIO LIBERTA”.

Vida longa à Companhia Teatro dos Ventos e a todos os coletivos que enfrentam a lógica capitalista, resistem à produções de arte enquanto mercadoria e continuam na luta pela liberdade da arte e pela revolução!




Tópicos relacionados

Censura   /    Arte de Rua   /    Arte   /    Teatro   /    Cultura

Comentários

Comentar