Mundo Operário

TRIBUNA ABERTA

Metalúrgicos convocam paralisação nacional rumo à greve geral

Em nota lançada pela Unidade de Ação Metalúrgica, espaço que reuniu neste dia 08/09 representantes de diversos sindicatos, convoca-se para o dia 29/09 uma mobilização nacional contra os ataques do governo golpista.

sexta-feira 9 de setembro| Edição do dia

Os dirigentes sindicais da CSP-Conlutas, CUT e Força Sindical, reunidos neste dia 08/09 após avaliarem os projetos de ajustes do governo golpista de Temer decidiram por uma paralisação nacional e convocam toda a classe trabalhadora para uma greve geral. Enfatizaram em debate a gravidade das reformas trabalhistas e da previdência que Temer está preparando para ser levado à aprovação ao Senado, essas reformas são um enorme ataque aos direitos trabalhistas que as grandes empresas e bancos exigem do seu novo governo como política prioritária para aumentarem seus lucros.

As condições de vida da classe trabalhadora, já posta sobre uma desigualdade social estrutural no sistema capitalista, desde o início da presente crise econômica mundial têm sido intensamente atacadas. Dilma já cortava da saúde e educação, Temer quer não só continuar tirando bilhões de todos os programas sociais mas também acabar e precarizar ainda mais os serviços públicos em benefício de acelerar as privatizações para os lucros da burguesia.

A classe operária, a juventude e toda a população pobre que sofre com a presente crise econômica precisam responder unificadamente a esta situação posta no Brasil. Os representantes sindicais de uma das mais importantes bases sociais do país, a classe operária industrial do ramo metalúrgico que é histórica no processo de redemocratização brasileira e daquela antiga reorganização da classe trabalhadora que fundou a CUT e o PT, pressionados pelo descontentamento geral abrem as portas para a tão esperada greve geral em resposta aos ataques dos governos.

Mas não podemos criar ilusões que qualquer luta que não seja levada com os métodos da democracia operária poderão levar até as últimas conseqüências o enfrentamento necessário para barrar as reformas neoliberais e conquistar avanços.

A greve geral, se organizada desde as bases e em ampla unidade com todos os movimentos sociais e em luta, pode ser a alternativa para todas as demandas dos explorados e oprimidos, precisamos organizar assembléias e reuniões em todas as categorias para unificar as lutas a partir do dia 29/09, só com esta força podemos fazer recuar a violência do estado e os planos liberais conservadores de fazer a juventude trabalhar até morrer e 12 horas por dia como defende o novo governo golpista.

Segue abaixo a nota escrita anunciando a paralisação nacional:

UNIDADE DE AÇÃO METALÚRGICA EM DEFESA DOS DIREITOS E DA APOSENTADORIA
29 DE SETEMBRO – PARALISAÇÃO NACIONAL DOS METALÚRGICOS – RUMO À GREVE GERAL

Mais uma vez, empresários, banqueiros e governos querem jogar a crise da economia nas costas da classe trabalhadora. Quando a economia cresce, os lucros ficam com as grandes empresas e os bancos. Quando vem a crise, ela é atirada nas costas dos trabalhadores: é sobre nós que recaem o desemprego, a eliminação de direitos, o arrocho dos salários.

Chegou a hora de dizer Basta!

Não aceitaremos as mudanças na Previdência Social que vêm sendo anunciadas pelo governo federal. Nem as mudanças que querem fazer nas leis trabalhistas, fazendo prevalecer o negociado sobre o legislado, novos tipos de contrato de trabalho, a eliminação de direitos. Precisamos de mais direitos e não menos.




Tópicos relacionados

CUT   /    Luta contra os ajustes   /    Governo Temer   /    Michel Temer   /    Porto Alegre   /    Impeachment   /    Ajustes Fiscais   /    CSP-Conlutas   /    Centrais Sindicais   /    Indústria   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar