Mundo Operário

TERCEIRIZAÇÃO METRÔ

Mais uma vez terceirizada do Metrô não cumpre acordo coletivo com trabalhadoras

O Metrô de SP mantém seus funcionários terceirizados da limpeza sem pagamento de refeição a mais de 10 dias. Alckmin mantém famílias sem ter o que comer.

quarta-feira 28 de setembro| Edição do dia

O Metrô "mais limpo do mundo" mantém seus funcionários terceirizados da limpeza sem pagamento de benefícios a mais de 10 dias. Como se não bastasse a exploração que sofrem cotidianamente, o Metrô de Alckmin (PSDB) segue explorando seus trabalhadores e mantém centenas de famílias sem ter o que comer.

Se mantém as denúncias dos trabalhadores terceirizados da empresa Soluções, contratada do Metrô após a falência da Higilimp no final do ano passado, por conta do não pagamento do Vale Refeição, que está atrasado desde o dia 17/09, denúncia esta já feita pela bancada eleita da Cipa da Linha 1 do Metrô e pelo Sindicato dos Metroviários e também pelo Esquerda Diário na semana passada.

Uma revolta que tende aumentar ainda mais se a empresa deixar novamente de cumprir com o novo prazo de pagamento agora nessa sexta feira (30/09). A luta contra os abusos sofridos pelos trabalhadores da antiga empresa Higilimp que faliu, deixou na mão centenas de trabalhadoras na USP e no Metrô, agora segue na nova empresa Soluções.

Para Diana Assunção, candidata a vereadora do MRT pelo PSOL e diretora licenciada do Sintusp "É um completo absurdo o que o Metrô e o governador Geraldo Alckmin vem fazendo com os trabalhadores terceirizados, não pagando os benefícios aos quais tem direito, como o Vale Refeição. As empresas terceirizadas mudam, mas os problemas e super-exploração dos trabalhadores seguem. Pelo imediato pagamento do VR! Chega de precarização do trabalho: pela efetivação dos funcionários terceirizados sem concurso público!"




Tópicos relacionados

Metrô   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar