Política

IMPUNIDADE

Maioria do STF vota pela impunidade dos executivos da JBS e mantém Fachin nas investigações

Sete dos 11 ministros do Supremo Tribunal Federal votaram a favor da manutenção dos benefícios aos delatores da JBS, negociados com o Ministério Público Federal. Eles também se manifestaram favoráveis em manter Edson Fachin nas investigações baseadas nos relatos dos empresários.

quinta-feira 22 de junho| Edição do dia

O mais notável benefício concedido aos empresários da JBS pelo MPF, e mantido agora pelo STF, é o acordo de não apresentar denúncia nem pedir abertura de ação penal contra eles. Com a votação desta quinta (22) este grande privilégio dos criminosos da classe dominante, que ocorre com a benção do judiciário, está garantido aos corruptores da JBS.

Embora já haja maioria e o posicionamento do tribunal esteja definido, o julgamento será retomado na próxima quarta (28). Isso porque o resultado só pode ser proclamado e a decisão efetivada após os 11 ministros votarem.

Já manifestaram seu voto os ministros Edson Fachin. Alexande de Morares, Luís Roberto Barroso, Rosa Weber, Luiz Fux, Dias Toffoli e Ricardo Lewandowiski. Na semana que vem votarão Gilmar Mendes, Marco Aurélio Mello, Celso de Mello e Cármem Lúcia.

Mas não foram só os ministros do STF que se manifestaram favoráveis à garantia de impunidade dos executivos da JBS, que compraram mais 1800 políticos para atuar a seu favor. O procurador-geral da República Rodrigo Janot chegou a declarar que seria necessário um "salto triplo mortal de costas" na interpretação das leis para mudar agora a condução e os benefícios da delação dos empresários da JBS. Espirituoso, Janot quer dizer que não há espaço para uma mudança no acordo neste momento.

Piruetas também foram necessárias na argumentação dos ministros para proteger a JBS. Alexandre de Moraes, por exemplo, chegou a defender a "legalidade" do acordo firmado entre os empresários, criminosos confessos, e o MPF. Rosa Weber evocou o princípio da "confiança" e da "boa fé" nas instituições na sua justificativa.




Tópicos relacionados

JBS   /    impunidade   /    STF   /    Política

Comentários

Comentar