Política

LULA PRESO

Lula abre mão de recursos no STF temendo novas medidas golpistas contra a sua candidatura

segunda-feira 6 de agosto| Edição do dia

Segundo informou Haddad e a presidente do PT, Gleise Hoffman, a defesa de Lula retirou do STF os recursos que reviam a sua prisão arbitrária. As razões para essa isso são o receio destes recursos serem usados também de forma arbitraria pelo STF para discutir a elegibilidade do petista.

Consciente das pressões “de cima”, do Judiciário avalista do golpe institucional e do seu fortalecimento dos elementos autoritários do Estado, através de suas diversas instâncias sem voto ingerindo sobre os rumos da política e dessas eleições, Lula decidiu abrir mão dos pedidos de liberdade. A decomposição do regime já fede há muito tempo, e esse odor cadavérico de direitos democráticos se sente nas togas de grandes juízes.

Seria novamente o caso, na medida em que o STF é palco de manobras para impedir que a prisão seja revertida, ou mesmo deixar que Lula receba visitas e dê entrevistas (coisa que grandes criminosos tiveram direito), uma provável manobra da suprema corte para discutir sua elegibilidade significaria uma nova ingerência, um novo avanço do golpismo contra o direito da população votar livremente. Uma nova prova de que essas eleições servirão para lavar a cara do golpe.

Essa decisão segue longe de significar uma mudança de postura de Lula e do PT em relação o regime, que mesmo após o avanço do golpe contra o direito da população escolher livremente o seu voto prendendo Lula, este disse em São Bernardo confiar na Justiça, que ele seguia acreditando na Lava-Jato (!).

Além disso, uma maior bonapartização do Estado contra uma das principais figuras do regime (cujo partido se recusou a organizar a defesa dos direitos democráticos da população), significará maior repressão e arbitrariedades contra os trabalhadores e suas formas de organização, em especial caso tentem se enfrentar contra os seu plano de ajustes.




Tópicos relacionados

Prisão de Lula   /    Julgamento de Lula   /    STF   /    "Partido Judiciário"   /    Política

Comentários

Comentar