FAMÍLIA BOLSONARO

Juíza que censurou reportagem da Globo afirmou defender a imagem de Flávio Bolsonaro

Depois de censurar a reportagem da Globo sobre as investigações de Flávio Bolsonaro, juíza diz que a divulgação poderia afetar a imagem do senador

segunda-feira 7 de setembro| Edição do dia

A juíza da 33ª vara cívil do Rio de Janeiro, Cristina Serra Feijó, proibiu a divulgação pela Globo de informações e documentos referentes ao esquema da rachadinha que envolve o ex-deputado estadual e agora senador Flávio Bolsonaro e o seu ex-assessor Fabrício Queiroz. Sua justificativa para a censura é de que essa divulgação comprometeria o andamento da investigação e a imagem do senador.

A juíza afirmou que “o requerente (Flávio Bolsonaro) ocupa relevante cargo político e as constantes reportagens, sem qualquer dúvida, podem ter o poder de afetar sua imagem de homem público e, por via transversa, comprometer sua atuação em prol do Estado que o elegeu senador”.

Essa situação explicita, mais uma vez, o pacto da família Bolsonaro com o judiciário e demonstra que o combate a esse governo não pode ser travado confiando nas instituições burguesas. Seja ela o sistema judiciário, que atua na defesa da imagem de Flávio como no caso da juíza, e que diz que nunca viu atitude de Jair Bolsonaro contra a democracia como no caso do Ministro do STF Dias Toffoli. Seja ela a mídia burguesa que apresenta embates com o governo,mas defende ataques aos trabalhadores como fez a Globo junto aos golpistas na reforma da previdência e na reforma administrativa de Bolsonaro em que elogiou a retirada direitos dos funcionários públicos.




Tópicos relacionados

Fora Bolsonaro, Mourão e os militares   /    Flavio Bolsonaro   /    Governo Bolsonaro   /    Corrupção

Comentários

Comentar