Política

CONTAGEM

Jogo eleitoral em Contagem mistura petistas e golpistas

Marília Campos (PT), ex-prefeita de Contagem e atual deputada federal mais votada da história da cidade, faz novas articulações, com os velhos políticos tradicionais. Não por menos, alguns antigos eleitores de Marília consideraram inesperada a mais nova articulação entre ela e o PMDB golpista na cidade.

Flavia Valle

Professora, Minas Gerais

terça-feira 2 de agosto| Edição do dia

Porém, apesar de palavras contra o golpe, a política do PT nacionalmente vem sendo a de fazer articulações com partidos golpistas. E a política de Marília Campos segue a mesma linha do PT nacionalmente.

Na matéria do jornal Diário de Contagem de 01 e agosto, “Reviravolta no jogo político em Contagem”, aparece a articulação entre PMDB golpista e Marília Campos do PT. A proposta é haver uma chapa única entre Jander Fillaretti para a prefeitura e Rodinei como vice. Se assim for, o candidato de Marília, Irineu, passaria a concorrer como candidato a vereador.

Já se completam quase dois meses de interinidade e as movimentações petistas seguem em apostar em conchavos parlamentares para tentar barrar a votação do impeachment. Isso já resultou no apoio do PT a Rodrigo Maia de nada mais nada menos que do DEM, um dos partidos golpistas mais atreladas aos antigos referentes políticos da ditadura militar em nosso país.

Com o PCdoB de Carlim Moura não e diferente pois nacionalmente esse partido também se alia a partidos e políticos golpistas como o PSDB para conseguir cargos eleitorais. Com o PCdoB de Carlim Moura não é diferente pois nacionalmente esse partido também se alia a partidos e políticos golpistas como o PSDB para conseguir cargos eleitorais. E na cidade, Carlim com a vice Letícia da Penha do PT, já tem seus aliados golpistas como o PDT.

Quem perde com isso e a população e os trabalhadores já que entre os interesses dos políticos das classes dominantes não está a prioridade em acabar com o desemprego, com o trabalho precário e com as péssimas condições de vida da juventude negra e pobre.

Enquanto isso as grandes centrais sindicais como a CUT e a CTB seguem sem chamar mobilização pela base de trabalhadores, mesmo tendo no calendário o dia nacional de paralisação indicado para 16 de agosto. Será mais um que vai ficar no papel?

Apenas a força da juventude e dos trabalhadores e a juventude é que pode ser uma força real para colocar abaixo o atual governo golpista. Venha somar vozes em nossa pré-candidatura anticapitalista na cidade para fortalecer realmente a luta dos trabalhadores e da juventude por fora dos conchavos do PT ou do PCdoB com os partidos tradicionais golpistas.




Tópicos relacionados

Política

Comentários

Comentar