Política

EMBRAER E BOEING

Governo acelera negociação que passa maior parte da Embraer para a burguesia imperialista

Governo tem pressa para que saia aval que permitirá que Embraer entregue para Boeing, gigante americana de aeronaves. Do outro lado, trabalhadores pagarão os custos com demissões já anunciadas pela Embraer.

quarta-feira 18 de julho| Edição do dia

Em julho deste ano foi anunciada a venda de 80% da área de jatos comerciais da Embraer para a companhia americana Boeing, o que na prática significa passar para as mãos americanas a maior parte dos conglomerados brasileiro. Apesar de ser uma empresa privada desde 1994, o governo brasileiro possui o golden share, ação de classe especial que dá poder de veto em a grandes mudanças na Embraer.

Para evitar críticas ao governo Temer, já bastante impopular entre os brasileiros, as duas empresas devem anunciar a consolidação do negócio e o aval da venda da Embraer após as eleições de outubro de 2018. Governo teme que a negociação seja explorada nos debates eleitorais dos candidatos à presidência da república.

Ate lá o governo não pretende fazer nenhum movimentação e as empresas se dedicam ao processo de avaliação judicial. Ainda que o governo busque esperar o fim das eleições, a pressão do governo Temer para entregar a maior parte da Embraer para as mãos americanas é evidente, uma vez que o governo deseja dar o aval antes do final da atual gestão, dificultando assim qualquer interferência da futura presidência e próximo governo que possa ser um impeditivo pra esta política.

Outro motivo para que o governo seja cauteloso nesse primeiro momento são as possíveis brechas judiciais que podem imobilizar a negociação. Com a venda concretizada a Boeing terá o controle operacional e a gestão da nova empresa, formada com a Embraer.

Outra parceria entre Embraer e Boeing esta em estudo, e prevê a distribuição comercial do cargueiro KC-390, desenvolvido pelo braço militar da Embraer, que segue nas mãos da gestão brasileira. A parceria em formato de “joint venture”, que estabelece a divisão temporária dos resultados e lucros em relação ao avião cargueiro.

A venda da Embraer para Boeing é mais um esforço do governo brasileiro que deseja agradar e beneficiar a burguesia imperialista. O pagamento religioso da dívida pública, que retira trilhões de reais da Educação e da Saúde, é um importante mecanismo de saque da burguesia imperialista, que não para e continua atacando a população e os trabalhadores, pressionando para que grandes empresas, como a Petrobras sejam privatizadas e riquezas naturais do país sejam entregues à preço de banana para as petroleiras internacionais. Enquanto isso, os trabalhadores brasileiros pagarão pela crise, com demissões milhares de demissões já anunciadas pela Embraer, avanços de reformas e duros ataques.

Leia também: Direção da Embraer muda o discurso e agora admite demissões com a venda para Boeing




Tópicos relacionados

embraer   /    Governo Temer   /    Política

Comentários

Comentar