Política

Boulos: "Vidraças quebradas não são nada perto dos danos que a FIESP causa"

terça-feira 13 de dezembro de 2016| Edição do dia

Guilherme Boulos, coordenador nacional do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), movimento social que convocou o ato contra a PEC55 na Paulista, se pronunciou sobre a manifestação em frente ao prédio da FIESP, no protesto em repúdio à aprovação da PEC 55 no Senado e pela renúncia de Michel Temer que ocorreu nesta terça (13).

"Não estava programado mas foi um gesto de indignação das pessoas. Fiesp representa o que não presta no Brasil. O dano na fachada da Fiesp é muito pouco perto do dano que a Fiesp está causando há muito tempo ao povo do Brasil".

"É preciso saber quem é a Fiesp. O que a Fiesp tem feito contra o povo brasileiro no último período. A Fiesp patrocinou este golpe assim como já tinha patrocinado o golpe militar de 1964. A Fiesp foi quem bancou inclusive essa PEC que congela investimentos sociais do povo brasileiro, defende perda de direitos trabalhistas, defende a reforma da previdência, defende a destruição do povo brasileiro. A Fiesp é contra o povo brasileiro. Por isso o nosso entendimento é que algumas vidraças quebradas não são nada perto do dano que eles tão fazendo ao povo trabalhador desse país", afirmou.




Tópicos relacionados

MTST   /    Governo Temer   /    Michel Temer   /    Política

Comentários

Comentar