Política

PRECARIZAÇÃO DA SAÚDE

Funcionários ligados ao Ministério da Saúde protestam em frente ao condomínio do Bolsonaro

Jair Bolsonaro (PSL), após voltar de uma agência do Banco do Brasil, encontra protesto na porta de seu condomínio na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro. Os funcionários protestavam contra a mudança da sede do Rio para São Paulo, essa mudança colocaria em risco centenas de empregos.

sexta-feira 9 de novembro| Edição do dia

Bolsonaro saiu de sua casa escoltado pela Polícia Federal, na volta a comitiva avistou na entrada do condomínio um protesto de funcionários de um órgão ligado ao Ministério da Saúde. No local tinham várias faixas contra a possível mudança da sede, faixas que os trabalhadores terceirizados do Cenadi - Centro Nacional de Armazenamento e distribuição de Imunobiológicos), seguravam contra essa mudança que afetariam seu trabalho que recebe, armazena e distribui vacinas, e funciona desde 1996 em Triagem, Zona Norte do Rio

São mais de 200 empregos ameaçados, entre trabalhadores que manipulam as vacinas, da limpeza, e segurança. É um absurdo que em meio a todos os ataques que estão colocados para o conjunto da classe trabalhadora como a reforma trabalhista, a terceirização irrestrita, o congelamento dos gastos com saúde e educação, os trabalhadores ainda tenham seus empregos ameaçados nesse nível, em um país que já conta com 13,4 milhões de desempregados de acordo com o IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

Isso clarifica ainda mais que até os empregos que restam estão sendo ameaçados, Bolsonaro fala: “ou tem mais direitos e menos trabalhos, ou mais trabalhos e menos direitos”. Mas, isso só escancara que nem trabalhos, e nem direitos, e sim escravizar os trabalhadores a serviço do lucro dos patrões.

Não podemos permitir que nossas vidas sejam entregues a exploração para que sejamos nós a pagar por uma crise que não criamos, enquanto estão cheio de privilégios e super salários. Precisamos lutar contra o Bolsonaro que é uma continuação violenta dos ataques de Temer, e para que sejam os capitalistas que paguem pela crise.

fonte:

https://www1.folha.uol.com.br/poder/2018/11/bolsonaro-vai-a-banco-e-na-volta-encontra-protesto-na-porta-de-seu-condominio.shtml




Tópicos relacionados

Ministério da Saúde   /    precarização   /    Bolsonaro   /    Saúde   /    Política

Comentários

Comentar