Política

DIREITA TAL COMO ELA É

Flavio Bolsonaro passa mal: juramento de Hipócrates, e o fascista Jair Bolsonaro maltrata até o filho

Não temos nenhuma solidariedade ao aprendiz de feiticeiro que passou mal ontem. Mas o tratamento que seu pai lhe deu, exigindo-lhe flexões e negando atendimento médico mostra um pouco a poeira da humanidade que é Jair Bolsonaro.

sexta-feira 26 de agosto| Edição do dia

O candidato Flávio Bolsonaro (PSC) passou mal ontem em debate na Band. Do mesmo partido que seu pai, o fascista Jair Bolsonaro e de Feliciano ele foi socorrido pelo tucano Osório e por Jandira Feghali do PCdoB. Jandira é médica, e como tal tentou socorrê-lo. Foi impedida pelo pai do direitista que não só a atacou como criticou o filho ao bom tom de um fascista que é.

Os médicos, realizam um juramento conhecido como juramento de Hipócrates, de onde vem a palavra hipocrisia. Segundo o juramento os médicos deveriam atender qualquer pessoa, nunca buscando o mal, independentemente de quem for a pessoa. Por convicção profissional, humanitária ou oportunismo eleitoral foi o que Jandira buscou fazer. O pai de Bolsonaro impediu o socorro do filho.

Veja aqui o vídeo do momento que Jair Bolsonaro passou mal:

No intervalo Jandira buscou atender o jovem direitista. O pai a impediu dizendo que ela envenenaria o candidato, segundo matéria do jornal Extra, ele teria dito “Ela vai dar estricnina para o meu filho”.

Jandira comentou em rede social essa situação:

Segundo informação apurada pelo mesmo grande jornal citado anteriormente o pai teria criticado o filho por ter passado mal, e como bom fascista lhe deu um tratamento “tropa de elite”, não só lhe impediu de ter tratamento médico como ainda teria dito (segundo o jornal Extra) após o filho se reanimar: “zero um. Paga umas flexões aí.”

Não temos nenhuma solidariedade ao aprendiz de feiticeiro. Mas o tratamento que seu pai lhe impõe mostra um pouco da desumanidade dessa poeira da humanidade, réu por estupro, que tem tempo de TV garantida o que é negado à esquerda.




Tópicos relacionados

Rio de Janeiro   /    Política

Comentários

Comentar