Política

REACIONARISMO

Ex-secretária de Temer propõe lei que proíbe debate sobre sexualidade com adolescentes

O projeto chamado "Infância sem Pornografia" proíbe a discussão de qualquer tema ligado a sexualidade não somente a professores mas também atingindo agentes de saúde. Uma agrado do governo Temer a Bolsonaro e seus comparsas obscurantistas.

sábado 17 de novembro| Edição do dia

Para agradar Bolsonaro deputada Rosinha da Adefal (Avante - AL) propõe uma lei que proíbe qualquer debate com adolescentes sobre sexualidade. A medida tem como alvo professores e agentes de saúde. O projeto que pretende ser uma versão turbinada do reacionário "Escola sem Partido" chama-se "Infância sem pornografia".

Segundo o projeto de lei apresentado pela reacionária deputada, que ocupou o cargo de secretária no governo Temer estão proibidas as abordagens por agentes de saúde e professores dos seguintes temas: "A lei não permite a professores ou agentes de saúde, ou qualquer outro servidor público, ministrar ou apresentar temas da sexualidade adulta a crianças e adolescentes abordando conceitos impróprios ou complexos como masturbação, poligamia, sexo anal, bissexualidade, prostituição, entre outros, sem o conhecimento da família ou até mesmo contra as orientações dos responsáveis".

Ou seja é uma lei para promover o obscurantismo, para garantir impunidade em abusos sexuais, para facilitar a prostituição infantil e até mesmo funcional à disseminação de DSTs, afinal até agentes de saúde estariam proibidos de abordar o tema.

A desinformação e proibição de discussão pública de temas como estes coloca as crianças e jovens sob maior poderes de autoridades e empresários para sua exploração e opressão sexual.

Entre vários gestos este é mais um do governo Temer e seus apoiadores para buscar agradar - ou mesmo cargos - sob o governo de Bolsonaro.




Tópicos relacionados

Política

Comentários

Comentar