Educação

DENÚNCIA

Estudantes da E. E. Professor Andronico de Mello denunciam sucateamento

Estudantes da Escola Estadual Professor Andronico de Mello enviaram ao Esquerda Diário uma denúncia onde mostram o sucateamento e a precarização das escolas públicas em São Paulo: publicamos na íntegra.

segunda-feira 1º de abril| Edição do dia

"No nosso colégio, Andronico de Mello, na zona oeste de São Paulo, estamos com enormes problemas e precisamos de ajuda! Porém, ninguém nos ouve.

Há algum tempo sofremos com os cortes de verba, falta de funcionários, salas superlotadas, falta de material e infra estrutura. Tudo isso veio junto com a limitação da atuação política estudantil, com a Secretaria da Educação impondo o estatuto que os grêmios de todas as escolas deveriam seguir e, com a conivência e até apoio das gestões, impedindo a nossa ação independente.

Os professores não ficaram para trás e têm suas condições de trabalho cada vez piores, com salários defasados, atribuições de aula obscuras que deixam turmas sem professor e professor sem trabalho, além de terem o direito de lutar cada vez mais atacado.

Problemas que atingem todas as escolas públicas e que o governo pretende aprofundar com projetos como Escola Sem Partido e a implementação da Reforma do Ensino Médio.

Nessas últimas semanas, com as chuvas intensas, a situação está chegando ao limite: as salas da nossa escola estão com problemas na estrutura, causando goteiras, as salas já estão alagadas. Todo dia as ajudantes da limpeza estão tendo que escorrer a água pela escada e é um perigo isso porque podem ocorrer acidentes. Quatros salas impossibilitadas de uso, ou seja, quatro turmas sem lugar para ter aula.

Como sempre, nos viramos como dá e somos obrigados a ter aulas teóricas no laboratório, na sala multimídia, de artes ou auditório, espaços que não estão preparados para essa situação (sem lousa e carteiras) e daí isso impede o uso dessa pouca estrutura disponível para aulas diferenciadas.

Nós, alunos de escolas públicas, já enfrentamos muitos problemas, como falta de verbas e materiais. E precisamos no mínimo de um local adequado para estudar.

Por favor, ajude-nos a compartilhar, até que o governo tome uma posição! Já que parece que fecham os olhos para a educação do Brasil."




Tópicos relacionados

Escolas   /    precarização   /    Escola sem partido   /    Faísca - Juventude Revolucionária e Anticapitalista   /    Educação   /    Movimento Estudantil   /    São Paulo (capital)   /    Juventude

Comentários

Comentar